https://autosolucoes.pt/

Censos: Santo Tirso perdeu 5% da população e Famalicão quase sem variação

Foram, esta quarta-feira, divulgados os resultados preliminares dos Censos 2021. O concelhos de Santo Tirso perdeu mais de cinco por cento de população relativamente a 2011 e em Vila Nova de Famalicão quase não houve variação, com uma ligeira queda de 0,2 por cento.

Segundo a nova contagem, o concelho tirsense tem, atualmente, 67.785 habitantes, menos 3745 que os registados há uma década.

A freguesia que, em termos percentuais, mais população perdeu foi a Reguenga, onde se verificou uma queda de 10,6 por cento, contando, atualmente, com 1427 habitantes. Segue-se a freguesia de Roriz, com uma diminuição na ordem dos 9,8 por cento, apresentando, em 2021, 3307 moradores.

Quem também viu a população descer mais de cinco por cento foram as freguesias de Vila Nova do Campo (-7,2%), Rebordões (-7%), S. Tomé de Negrelos (-6,8%), Agrela (-6,4%), Além Rio (-6,2%), Vila das Aves (6%), Lamelas e Guimarei (-5,6%) e Vilarinho (-5,1%).

Com uma queda de 4,2 por cento, a União de Freguesias de Santo Tirso, Couto (Santa Cristina e S. Miguel) e Burgães, freguesia sede do concelho, perdeu quase mil habitantes, tendo, atualmente, 20.635 pessoas. A população de Monte Córdova caiu 2,7 por cento e a de Carreira e Refojos diminuiu em 1,4 por cento.

A única freguesia que ganhou população foi Água Longa: mais 140 pessoas habitam naquele território, representando um crescimento demográfico de 6,3 por cento.

Em Vila Nova de Famalicão, a freguesia de Antas e Abade de Vermoim ganhou 11,3 por cento de população relativamente aos censos de 2011, assumindo-se como o território com maior subida percentual neste concelho. Destaque também para o crescimento populacional de Vilarinho das Cambas, na ordem dos 8,8 por cento. Vila Nova de Famalicão e Calendário cresceu 3,9 por cento em termos populacionais. A freguesia sede do concelho conta, atualmente, com 20.937 habitantes.

Do outro lado, surge Bairro, com uma quebra de 11,1 por cento, e Oliveira São Mateus, que viu a população diminuir em 10,8 por cento.

No total, o concelho de Vila Nova de Famalicão conta com 133.590 habitantes, menos 242 que há uma década.

A Trofa, segundo a nova contagem, perdeu um por cento de população relativamente a 2011, apresentando, atualmente, 38.612 habitantes.

Esta queda refletiu-se em quase todas as freguesias, à exceção do Coronado, que passou a ter 9121 habitantes, mais dois que há uma década.

Das freguesias que perderam população, a que perdeu mais em percentagem foi Covelas. Em 2021 são menos 6,5 por cento do que em 2011, ou seja, moram, atualmente, na freguesia 1461 pessoas.

Segue-se o Muro com uma queda de 4,2 por cento, com variação de 1922 para 1841 habitantes em dez anos.

Em Bougado, a diminuição cifrou-se nos 0,8 por cento, de 21585 para 21412 habitantes, e em Alvarelhos e Guidões habitam, hoje, 4777 pessoas, menos 0,7 por cento do que em 2011.

A nível nacional também se verificou uma queda de habitantes, na ordem dos 1,9 por cento. Atualmente, residem no país 9.860.175 pessoas.

Leia também...