Santa Clara vence na Vila das Aves e é segundo

O Santa Clara ascendeu, na segunda-feira, ao segundo lugar da II Liga portuguesa de futebol, mesmo com um jogo em atraso, ao somar, no reduto do Desportivo das Aves, o terceiro triunfo (3-1) fora.

Com três golos, dois deles de Rafael Batatinha, nos primeiros 25 minutos da segunda parte, o ‘onze’ dos Açores repetiu os triunfos nos redutos de Vitória de Guimarães B e Oliveirense e ficou a dois pontos do líder Braga B.

Caso triunfe domingo na receção ao Académico de Viseu, o conjunto de Filipe Gouveia isola-se na liderança da prova, enquanto o Desportivo das Aves, que já disputou cinco jogos, continua sem ganhar, com apenas dois pontos.

Os locais demoraram quase meia hora a conseguir fazer uma jogada com cabeça, tronco e membros, período em que os visitantes, com uma equipa melhor estruturada e com qualidade na posse de bola, podiam ter feito funcionar o marcador.

Aos nove minutos, uma insistência de Hugo Santos pela direita deixou isso a descoberto, valendo Vítor Alves, na linha de golo, a negar a cabeçada de Rafael Batatinha.
O Santa Clara mostrou argumentos também de bola parada com Accioly (21 minutos) a subir até à área contrária para desviar de cabeça, para fora, um pontapé de canto de Carraça.

Jogando quase sempre de forma atabalhoada, a equipa local teve num lance confuso na área dos visitantes uma oportunidade soberana, mas Ericsson (28 minutos), à meia volta, atirou por alto.

Agora mais subido e pressionante, o Aves podia ter chegado ao golo numa recuperação de Romaric (35 minutos), que Tarcísio transformou em assistência para Joel Silva atirar para as mãos de Pedro Freitas.

Quatro minutos volvidos, Quim mostrou classe ao desviar para canto um remate perigoso de Rafael Batatinha, após o que Accioly voltou, de cabeça, a causar apuros, no derradeiro lance de perigo da primeira parte.

Segundos depois do recomeço, Hugo Santos descobriu Clemente solto na área e o marcador funcionou, num lance em que a defesa avense estava a ‘dormir’.

O nº 10 do Santa Clara continuou imparável e depois de assistir Rafael Batatinha (53 minutos) para um remate ao lado, voltou a penetrar na defesa avense para servir o brasileiro (55), que desta vez, acertou nas redes ampliou a vantagem.

Recém-entrado, Renato Reis (70 minutos) fez um mau atraso para Quim e Rafael Batatinha interpôs-se e finalizou com um ‘chapéu’ de belo efeito, ‘bisando’ na partida.

Nos minutos finais, o Aves viu Ernest atirar para o fundo das redes, mas depois de dominar a bola com a mão, e cabecear ao poste (85), antes de Nélson Pedroso (86), de livre direto, fixar o marcador.

Lusa

Obrigado por ler esta notícia

Veja tambem