:papercutz esperam que famalicenses se percam “nas histórias de cada tema”

A banda portuense :papercutz tem dado que falar a nível nacional e internacional e vai atuar a 10 de março, na Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão. Uma das vozes que deu que falar no Festival da Canção, Catarina Miranda, é vocalista da banda.

Bruno Miguel, compositor e produtor do grupo, espera, em solo famalicense, “pessoas desejosas de se perderem um pouco no trabalho e nas histórias por detrás de cada tema” da banda do Porto. Acompanhado por Catarina Miranda, conhecida como Emmy Curl e intérprete da música “Para sorrir eu não preciso de nada” que concorreu este ano ao Festival da Canção, Bruno Miguel destaca na música dos :papercutz as “referências de natureza pop”, mas também “instrumentação eletrónica e ultimamente referências musicais fora do espectro ocidental”.
Inspirados por artistas como Ryuichi Sakamoto, os :papercutz vão já no 2.º álbum de originais e têm ainda na estante dos discos “um álbum especial de colaboração com outros artistas e uma edição especial japonesa”. O terceiro trabalho de originais, King Ruiner, chega ainda este ano.
Mas nem tudo foi fácil no percurso desta banda. “No início tivemos dificuldades em ter uma editora nacional interessada no álbum de estreia, de nome ‘Lylac’, mas conseguimos a atenção de uma pequena editora de Montreal”, explicou o produtor. Desde então, as críticas internacionais repercutem-se. Depois da aposta da produtora, em pouco tempo viajaram para Londres para participar num festival e venceram um prémio atribuído pela radialista Annie Nightingale. Em Portugal, fizeram parte dos “Novos Talentos Fnac, pelas mãos do Henrique Amaro”.
Considerando que “é notório, apesar de com algum atraso, o maior interesse e aceitação da música electrónica” em Portugal, Bruno Miguel ressalva que “há espaço para a música dos :papercutz” em solo nacional. Mas o grupo não se fica por aqui. “Temos tido a sorte de poder viajar através do nosso trabalho e já tocamos pelo resto do mundo”, frisou.
Por isso, o objetivo é continuar a realizar concertos em Portugal e fora de portas. “Em maio, temos uma pequena série de datas no Reino Unido com passagem pelo festival Soundcity em Liverpool e queremos tocar no resto da Europa”, adiantou o produtor.
Os :papercutz preparam ainda uma segunda edição japonesa e alimentam o sonho de “poder tocar no Japão”.
A vocalista da banda, Catarina Miranda, foi uma das intérpretes mais badaladas da edição de 2018 do Festival da Canção e Bruno Miguel reconhece que a jovem “se liga à composição entrega-se à gravação e ao palco”. “É detentora de uma harmonia cristalina que encanta um público alargado e de uma força enorme que tem para poder abraçar de uma forma tão pessoal os projetos em que se envolve”, acrescentou.

Notícias relacionadas...

Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma experiência mais personalizada. Ao navegar está a permitir a sua utilização