Juventude Cruz Vermelha e refugiados partilham culturas e sabores

A “partilha de culturas e sabores da cozinha portuguesa e da Eritreia” foi o objetivo do almoço com os dois refugiados oriundos da Eritreia, que a Delegação de Santo Tirso Cruz Vermelha Portuguesa (CVP) de Santo Tirso está a acolher, promovido pela Juventude Cruz Vermelha de Santo Tirso (JCV-ST). Para além de “trazer um pouco dos sabores das suas origens, pretendeu-se ainda incentivar os dois refugiados à autonomia na confeção destes alimentos”, adiantou fonte da JCV-ST.

Assim, a 8 de julho, decorreu um “agradável almoço convívio” numa “casa particular”, que foi cozinhado pelos voluntários da JCV-ST e pelos próprios refugiados, tendo sido confecionados um prato da cozinha portuguesa e um prato da cozinha Eritreia. “O prato da Eritreia, Doro Wat, bastante condimentado, foi saboreado de forma fiel à sua cultura e costumes, tendo sido servido com a Injera, uma espécie de pão de massa fina da Etiópia e Eritreia, que também foi confecionada, sendo que um bocado de Injera serve de ‘colher’ para saborear o prato”, explicou.

Esta atividade teve o apoio do Jumbo de Santo Tirso, através de um donativo em géneros alimentares para a realização da mesma, ao qual a Delegação de Santo Tirso da CVP “agradece o apoio em mais uma iniciativa da JCV-ST”.

Obrigado por ler esta notícia

Veja tambem