Select Page

Festival Internacional de Guitarra “é um acontecimento cultural do Norte” (c/video)

Até ao dia 28 de maio, Santo Tirso assume-se como a capital da guitarra clássica. Vários artistas do mundo participam no Festival Internacional, que é considerado pela autarquia “um acontecimento cultural do Norte”.

O
s sons clássicos da China soaram no auditório Padre António Vieira, no Instituto Nun’Alvres, em Santo Tirso, na noite de 13 de maio. Xuefei Yan teve honras de iniciar o Festival Internacional de Guitarra de Santo Tirso e teve a companhia da Orquestra Artave no palco. A variedade foi o trunfo da artista, nascida em Pequim, mas residente em Londres e considerada uma das melhores guitarristas clássicas da atualidade.
O diretor artístico da Artave, Alexandre Reis, destacou a “pujança” e o “fulgor” da instrumentista, assim como “a diversidade”, pela apresentação de “clássicos chineses, de música da Península Ibérica e de música brasileira”. “Apresentou um programa muito variado e de elevado nível artístico”, acrescentou.
Até 28 de maio, outros artistas e sonoridades poderão ser apreciados no concelho de Santo Tirso. Grisha Goryachev é o artista que se segue, no dia 27 de maio, pelas 21.30 horas, na Biblioteca Municipal de Santo Tirso. O russo é dos poucos que revive a tradição da guitarra flamenca solo num concerto.
O festival termina com Kazuhito & Kanahi Yamashita. O primeiro regressa a Santo Tirso, quase 20 anos depois para mostrar por que é que é considerado uma lenda nos círculos da guitarra. O concerto está marcado para as 21.30 horas de 28 de maio, no Auditório Eng. Eurico de Melo. Acompanhado pela filha, Yamashita apresentará um concerto especialmente preparado para o Festival, que inclui interpretações de música clássica japonesa.
Os bilhetes para os dois últimos concertos do Festival Internacional de Guitarra têm o valor de 7,50 euros, com 50 por cento de desconto para estudantes, e podem ser adquiridos nas instalações da ARTAVE, na FNAC do Norte Shopping e de Santa Catarina.
Joaquim Couto, presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, mostrou-se “muito agradado” com o “auditório cheio” do primeiro concerto, cenário que espera ver replicado “em todos os outros espetáculos”. “E, sobretudo, que sejam participados pelos jovens, que é muito para eles que desenvolvemos a iniciativa em parceria com a Artave”, explicou.
Cumprindo a 23.ª edição do evento, o autarca explicou que o executivo municipal “tem uma planificação cultural que abrange todas as faixas etárias” e que “tenta formar todos os públicos” e “criar uma massa crítica que alimente a criatividade cultural”.

Artistas que já tocaram
no Festival
O Trio Alfredo Panebianco foi o grupo que se seguiu na programação, com concerto no dia 14 de maio na Biblioteca Municipal de Santo Tirso. Já no dia 20 de maio, foi o croata Zoran Dukic que subiu ao palco da Biblioteca Municipal e, no dia seguinte, o quarteto Sandro Norton tocou no Auditório Eng. Eurico de Melo. Os Gnomon apresentaram-se no Centro Cultural de Vila das Aves, no dia 22 de maio.

Vertente pedagógica do evento
Além dos espetáculos, o Festival continua com a vertente pedagógica. Xuefei Yang ministrou uma masterclass de guitarra clássica no dia 14 de maio e Sandro Norton participou num workshop na Fábrica de Santo Thyrso. O mesmo local será palco de outro workshop, protagonizado por Grisha Goryachev, no dia 27 de maio, pelas 10.30 horas.

 

Videos

Loading...

Siga-nos

1ª pagina edição Papel

Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma experiência mais personalizada. Ao navegar está a permitir a sua utilização