https://emac.autosolucoes.pt/

Empresa gestora de paletes abre centro logístico em Santo Tirso

A La Palette Rouge (LPR) Portugal, empresa gestora de paletes, vai instalar um dos dois novos centros logísticos em Santo Tirso. A nova unidade, que ficará instalada no armazém onde funcionou a extinta empresa de materiais elétricos Rui & Valdemar, em Fontiscos, é resultado da aposta de “assegurar a manutenção dos níveis de serviço” que, no ano passado, registou um aumento de quatro por cento no volume de paletes transacionadas em território nacional, para 18,5 milhões, relativamente a 2019.

Para esta escolha deve ter pesado a proximidade com o nó da autoestrada A3, via que facilita o acesso a vários polos industriais do Grande Porto e Braga. Segundo e empresa, com a nova infraestrutura, a empresa pretende “reforçar, ainda mais, a capacidade instalada de classificação, tratamento e secagem das inconfundíveis ‘paletes vermelhas’ da marca”.

“Com 9000 metros quadrados de área total e uma localização estratégica, o Centro de Serviços de Santo Tirso permite, ainda, a redução dos lead-times associados às entregas e recolhas dos seus ativos, com a consequente redução de emissões de CO2″, detalhou a LPR, em comunicado.

Em Santo Tirso e em Coimbra – onde está o outro novo centro logístico com 12.600 metros quadrados de área total -, a LPR Portugal pretende “alavancar, substancialmente, a capacidade de secagem e tratamento de paletes, assim como reduzir as distâncias para os pontos de entrega e recolha de paletes, com um elevado impacto na redução das emissões de CO2”, sublinha Flávio Guerreiro, country manager da LPR Portugal, em comunicado.

A inauguração do Centro de Serviços de Santo Tirso representa não só uma nova etapa no serviço prestado pela LPR, ao apresentar uma capacidade de processamento ímpar em Portugal, como reforça de forma significativa a aposta na excelência do serviço prestado pela nossa empresa, e que mesmo em momentos atípicos e difíceis como o que vivemos, não nos inibe de investir com vista ao futuro. Com uma maior capacidade de secagem e processamento, maiores níveis de automação e também mediante a sua localização estratégica, estamos ainda mais perto dos nossos clientes e parceiros de negócio, potenciando a redução significativa dos períodos de transporte e de entrega/recolha de paletes, assim como das emissões de CO2, entre outros ganhos de eficiência de ordem diversa, apenas possíveis quando se trabalha em estreita cooperação com o mercado”.
Flávio Guerreiro, Country Manager LPR Portugal

Esta empresa, ao prestar serviços de logística para paletes reutilizáveis, diminui a pegada ecológica deste tipo de negócio e, ao aproximar-se dos clientes dá outro sinal “claro” da “preocupação ambiental”.

Além disso, com “os investimentos em equipamentos e maquinaria”, a LPR quer ainda “assegurar a capacidade necessária para a satisfação de um cada vez mais exigente e complexo mercado”.

Atualmente, a empresa detém seis mil pontos de recolha e oito centros logísticos, que asseguram a mobilidade e manutenção de um parque de mais de dois milhões de paletes em circulação diária em Portugal Continental e arquipélagos.

Se a LPR Portugal entrou, em 2021, a demonstrar o seu dinamismo e a evidenciar os motivos que fazem de si a referência na prestação de serviços de pooling, em Portugal e na Europa, a chegada do mês de abril apenas veio reforçar essa premissa. Com a inauguração do novo Centro Logístico, em Santo Tirso, para além do novo sistema automático de classificação de paletes, a LPR passa a apresentar a maior capacidade de secagem e tratamento térmico a nível europeu, ao ser capaz de processar três mil paletes em simultâneo. Números apenas possíveis graças à dotação da infraestrutura de tecnologia de vanguarda e que, claro está, vem incrementar as disponibilidades de tratamento e secagem das nossas paletes, conhecidas e reconhecidas pela sua durabilidade e qualidade, que fazem delas ‘a base do negócio’ de todos os nossos clientes”.

Hugo Silva, diretor de Operações da LPR Portugal


 

Leia também...