Select Page

Desp. Aves empata em Vila do Conde

Desp. Aves empata em Vila do Conde

Rio Ave e Desportivo das Aves não foram além um empate sem golos, em jogo da 24.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, em que as duas equipas mostraram fragilidades na altura da finalização.
Apesar de ambos os conjuntos terem criado suficientes oportunidades para desfazer o nulo, ao longo de um jogo que oscilou em termos de intensidade, ambos os treinadores podem lamentar a falta de pontaria dos seus pupilos na altura do remate.

Os avenses ainda chegaram a marcar um golo, já na segunda parte, por Vítor Gomes, mas o lance acabou por ser anulado, pelo videoárbitro, por um alegado fora de jogo do médio Vítor Gomes.

Com esta divisão de pontos, os vila-condenses perdem algum terreno na luta pelos lugares europeus, mantendo o quinto lugar, agora com 37 pontos, enquanto o Aves, que somou o quarto jogo consecutivo sem perder, ganhou mais algum alento na fuga aos lugares de despromoção, seguindo, à condição, no 13.º posto, com 22 pontos.

Vindo de uma derrota pesada frente ao FC Porto, por 5-0, na jornada anterior, o Rio Ave entrou no desafio a tentar impor o seu estilo de posse bola, para, depois, tentar com passes de rotura chegar à baliza contrária.

Nessa toada, e ainda antes dos 15 minutos, os vila-condenses dispuseram de duas boas situação, mas com Guedes, em ambas, a falhar na altura do remate.

Já o Aves, que vinha de nulo frente ao Marítimo, em casa, apostava, nesta fase inicial, no contra-ataque, mas apesar de velocidade imposta pelos seus avançados, claudicava no último passe, acabando, quase sempre, anulado pela defesa vila-condenses.

Assim, só aos 24 minutos os visitantes conseguiram o primeiro remate enquadrado com a baliza, e verdadeiramente perigoso, numa arrancada de Nildo Petrolina, que ainda esboçou um remate que Cássio susteve.

Apesar desta reação dos forasteiros, continuava a ser o Rio Ave a mostrar um futebol mais coerente, e quase sempre impulsionado pelos desequilíbrios de Francisco Geraldes, que aos 38 serviu Diego Lopes, com este a rematar por cima.

O aproximar do final da primeira parte fez as duas equipas arriscarem um pouco mais, e disporem, nesses derradeiros instantes, das suas melhores oportunidades até então.

Aos 39, foi o Aves a voltar a reagir, novamente com Nildo Petrolina em destaque, desta feita num remate astuto, que o capitão do Rio Ave, Tarantini, desviou, em cima da linha de golo.

Já em cima do apito para o descanso, foi Diego Lopes a por à prova os reflexos de Adriano Faccini na baliza do Aves, com um remate forte, que o guardião brasileiro desviou, com a bola quase a sobrar para Guedes, que não chegou a tempo da emenda.

O intervalo acabou por fazer bem os avenses, que regressaram para a etapa complementar mais soltos e com maior objetividade, conseguindo, aos 52, marcar um golo, por Vítor Gomes, mas que acabou anulado pelo videoárbitro, por alegado fora de jogo ao médio.

O Rio Ave ‘abanou’ com o lance, acabando por recuar as suas linhas, perante um Aves que, já com Sami e Braga como trunfos para esta segunda metade, se ia acercando da baliza de Cássio, embora com as mesmas dificuldades no último passe.

Depois de alguns remates com algum perigo para ambos os conjuntos, a fase final da partida ganhou contornos mais emocionantes, quando Marcão, que tinha entrado no jogo aos 79 minutos para substituir o lesionado Marcelo, acabou expulso, cinco minutos depois, após uma entrada dura sobre Amilton.

Curiosamente, os vila-condenses adaptaram-se bem a jogar com menos uma unidade, e perante um Aves precipitado na tentativa de aproveitar essa ‘vantagem’, acabaram por pertencer aos locais, as melhores oportunidades nos derradeiros instantes, para inverter um 0-0, que se arrastou até ao final.

Lusa

Foto: arquivo (Vasco Oliveira)

Videos

Loading...

Siga-nos

1ª pagina edição Papel

Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma experiência mais personalizada. Ao navegar está a permitir a sua utilização