Ribeirão tem painel alusivo à Guerra do Ultramar

A vida dos combatentes no Ultramar, nas diversas fases da guerra, está agora retratada num painel em azulejo, que pode ser apreciado no Souto de Santa Ana, em Ribeirão, concelho de Vila Nova de Famalicão, atrás do monumento de homenagem às Mães e aos Combatentes do Ultramar.
O mural com o painel em azulejo, inaugurado a 5 de junho, foi idealizado pelo presidente do Núcleo de Ribeirão da Liga dos Combatentes, Ferreira dos Santos, e materializado pelo artista Fernando Jorge. Segundo o Núcleo de Ribeirão, este mural vem “enriquecer a envolvente e permitir uma leitura histórica da realidade dos factos do conflito, em que Portugal esteve envolvido durante mais de 13 anos”.
Mas a cerimónia, promovida pelo Núcleo de Ribeirão da Liga dos Combatentes, começou com uma missa de sufrágio pelos combatentes falecidos, na Igreja Matriz, celebrada pelo Monsenhor Manuel Joaquim, que, na homilia, “prestou homenagem à memória dos combatentes que deram a vida pela Pátria”. Houve ainda um momento para a imposição de medalhas das Campanhas a Combatentes, sócios do Núcleo de Ribeirão, que prestaram serviço nos diversos territórios ultramarinos portugueses. Depois de “uma breve invocação religiosa”, a cargo do pároco Monsenhor Manuel Joaquim, foram colocadas três coroas de flores junto à base do Monumento e guardado um minuto de silêncio, em honra dos que tombaram em defesa da Pátria.
O presidente do Núcleo de Ribeirão afirmou que o mural também tinha o objetivo de “lembrar aos vindouros uma época da nossa história que marcou definitivamente a vida de todos nós”. Além disso, chamou a atenção para “o simbolismo que constituía a imposição das condecorações aos Combatentes de Ribeirão, exigindo respeito e dignidade para aqueles que um dia foram obrigados a pegar em armas para defender a Pátria”.
Já o General Chito Rodrigues, presidente da Liga dos Combatentes, evocou o quinto aniversário do Núcleo de Ribeirão, enaltecendo “o patriotismo dos combatentes e a obra que acabava de ser inaugurada, por prestigiar e dignificar Ribeirão”. O presidente da Liga dos Combatentes felicitou “a direção do Núcleo pelo esforço e trabalho desenvolvidos em prol da Liga dos Combatentes, acentuando o caráter patriótico e quase secular da instituição”.
A cerimónia terminou com um almoço convívio, animado pelas danças e cantares do Rancho Etnográfico da Vila de Ribeirão. “As cerimónias militares de homenagem aos mortos foram prestadas por uma Força Militar da Escola Prática de Serviços da Póvoa de Varzim, que desempenhou com mérito a missão de que tinha sido incumbida”, adiantou fonte do Núcleo.

Obrigado por ler esta notícia

Veja tambem