Pavilhão Municipal vai ser requalificado

O Pavilhão Desportivo Municipal de Santo Tirso vai ser alvo de obras de requalificação, com o objetivo de melhorar a eficiência energética e sustentabilidade ambiental e económica do edifício. A intervenção, superior a meio milhão de euros, prevê a instalação de um sistema solar fotovoltaico e um sistema solar térmico para produção de água quente, estimando-se uma redução de 31 por cento nas emissões de CO2.

Em média, cerca de 650 pessoas utilizam diariamente o Pavilhão Desportivo Municipal de Santo Tirso para a prática de atividades como a ginástica, o voleibol, andebol, voleibol ou o futsal, entre outras. Dezasseis anos após a sua construção, estas serão as primeiras grandes obras de beneficiação do equipamento, nomeadamente no seu interior.

Para o presidente da Câmara de Santo Tirso, Joaquim Couto, trata-se de uma obra importante, na exata medida que “é um dos equipamentos desportivos a nível municipal com maior utilização por parte da população”. Por isso, acrescenta, “a necessidade de fazer obras de beneficiação” que vão “melhorar as condições de quem utiliza o espaço”.

O projeto de intervenção contempla a substituição integral da cobertura e a reparação do pavimento desportivo em madeira, localizada na nave do Pavilhão Desportivo Municipal. Além disso, um dos grandes objetivos passa por melhorar a eficiência energética do edifício e, neste contexto, será colocado isolamento térmico na cobertura e instalado um sistema solar fotovoltaico para regime de autoconsumo, cumprindo uma das apostas da Câmara “de apostar no desenvolvimento sustentável do Município”, recorda Joaquim Couto.

Além disso, a iluminação do pavilhão será toda substituída por tecnologia LED e será colocado um sistema solar térmico, para produção de água quente de uso sanitário. Após a intervenção, haverá uma redução de 12 por cento no consumo de gás natural, bem como de 47 por cento no consumo de eletricidade do pavilhão municipal. Segundo o autarca, “a redução das emissões de CO2 rondará os 31 por cento”.

 “Até 2020, a Câmara de Santo Tirso pretende desenvolver diversas ações que compõem o Plano de Ação de Eficiência Energética e que será orientado para a sustentabilidade energética, através da intervenção em equipamentos municipais, promoção da eficiência junto dos utentes e da implementação de ferramentas de gestão e monitorização da energia”, sublinha Joaquim Couto.

 A obra no valor de 512 mil euros é financiada no âmbito de uma candidatura apresentada pela Câmara de Santo Tirso ao Norte2020, dos quais cerca de 230 mil euros são garantidos pela autarquia.

Notícias relacionadas...

Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma experiência mais personalizada. Ao navegar está a permitir a sua utilização