Auto Soluções

Mercadona anuncia subida de 11% dos salários de entrada

A retalhista Mercadona vai aumentar em 11% o salário de entrada dos trabalhadores em Portugal. A partir de janeiro de 2023, o vencimento mínimo auferido por um funcionário será de 1034 euros brutos mensais, o que representa uma diferença de 147 euros em relação ao salário mínimo nacional (com duodécimos incluídos).

Além deste aumento, os colaboradores beneficiam da política de progressão salarial da empresa: um aumento de 11% anual que permite atingir um salário no valor de 1414 euros brutos mensais (com duodécimos) num máximo de quatro anos de antiguidade. Adicionalmente, recebem também um prémio anual por objetivos que corresponde a um salário extra, nos primeiros quatro anos, e dois salários extra nos anos seguintes.

Segundo Hugo Pilar, responsável de Benefícios e Compensações em Portugal, “a Mercadona pretende continuar a crescer em Portugal e o nosso objetivo é promover condições laborais competitivas, tanto a nível económico como na conciliação ou no desenvolvimento profissional”. “Para poder oferecer um serviço de excelência ao cliente, a empresa tem de contar com recursos humanos de qualidade, o que implica investir nas pessoas e oferecer condições que as satisfaçam e motivem para realizar o seu trabalho da melhor forma possível”.

Para manter o “profundo nível de compromisso e o elevado rendimento do conjunto da equipa”, a Mercadona mantém uma política de recursos humanos que aposta na verdade universal de “para poder receber, primeiro temos de dar”. “Por isso, oferece empregos de qualidade, nos quais as pessoas podem crescer profissionalmente, num ambiente laboral estável, com salários acima da média do setor e planos de formação, tanto gerais como específicos, que permitem que continuem a desenvolver-se”, acrescenta a retalhista, em comunicado.

Leia também...