Select Page

Dispositivo pronto para defender floresta

Um dos pulmões verdes do concelho de Santo Tirso serviu de pano de fundo para a apresentação do Dispositivo Municipal de Prevenção de Incêndios Florestais.

No Monte de Nossa Senhora da Assunção, na manhã de 1 de junho, as entidades de proteção civil mostraram que estão concertadas para que, no período crítico de fogos florestais, haja uma ação eficiente sempre que o alerta chegar.
“Com este Dispositivo há condições para uma deteção mais rápida da ocorrência, uma intervenção mais eficaz e maior qualidade na gestão dos meios. O objetivo é diminuir o número de ocorrências”, apontou Joaquim Couto, presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso.
Face à nova lei de limpeza dos terrenos, a Câmara desenvolveu ações, em concertação com as juntas de freguesia, para sensibilizar a população. O edil destacou que a autarquia “também fez o trabalho de casa” e “começou a trabalhar há vários meses” com “uma campanha de sensibilização dos proprietários dos terrenos florestais, para respetiva limpeza dos terrenos”.
Num investimento de “cerca de 200 mil euros”, a autarquia tem no terreno “a beneficiação de 44 quilómetros da rede viária florestal do concelho, tendo já concluída a limpeza de vegetação nos terrenos propriedade do Município e nas faixas de proteção à rede viária florestal”.
Já o Dispositivo Municipal de Prevenção de Incêndios Florestais vai funcionar com a ação das três corporações de bombeiros do concelho, da Guarda Nacional Republicana, da Polícia de Segurança Pública, da Associação dos Silvicultores do Vale do Ave, da Polícia Municipal, da Proteção Civil Municipal, de equipas da Associação de Empresas do Setor Papeleiro e de Celuloses (AFOCELCA) e ainda da equipa de primeira intervenção da Junta de Freguesia de Agrela.
Em 2018, as fases de combate a incêndios em Portugal foram substituídas por níveis de prontidão, com um nível permanente ao longo do ano e reforçado entre 15 de maio e 31 de outubro. O agora denominado Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais indica que os meios são reforçados a 1 de junho pela segunda vez, com a entrada em vigor do denominado “reforçado – nível III”, que termina a 30 de junho

Videos

Loading...

Siga-nos

Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma experiência mais personalizada. Ao navegar está a permitir a sua utilização