Select Page

Desafios da gerontologia do futuro em debate (c/ vídeo)

Desafios da gerontologia do futuro em debate (c/ vídeo)

O 2.º seminário sobre práticas gerontológicas, em Santo Tirso, teve, no centro do debate, temas relacionados com a demência, sexualidade e envelhecimento ativo.

As “Políticas e Intervenções Gerontológicas” orientaram o segundo seminário promovido pela Câmara Municipal de Santo Tirso que debateu as práticas e os desafios da gerontologia contemporânea. A iniciativa realizou-se na Fábrica de Santo Thyrso, a 6 de junho.

Para os parceiros desta rede social, como o Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) Santo Tirso/Trofa, esta atividade é premente para quem presta cuidados para satisfazer as necessidades da população. Neste caso, o foco esteve direcionado para os seniores, com debates que resultassem em resultados práticos na melhoria da qualidade de vida.

Houve ainda grupos de trabalho e uma conferência, relacionados como a demência, a sexualidade, a discriminação pela idade e o envelhecimento ativo e participação cívica.

“Todos os parceiros debatem e partilham estas necessidades e as diferentes formas de atuação, dentro das capacidades e competências de cada instituição. Ao trabalhar em rede, estamos a criar as sinergias para colmatar lacunas”, começou por dizer Ano Tato, diretora do ACES.

A “longevidade”, disse, é um dos “desafios” que os profissionais de saúde têm de enfrentar nos cuidados aos seniores, mas há mais, como “o isolamento”, que “tira qualidade de vida”. Ana Tato refere a importância de os seniores, que “passam de um estado em que são ativos na sociedade para a reforma”, terem uma vida “enriquecida” com “os laços familiares e sociais”.

E nesta rede, qual a importância dos cuidadores informais? “Fundamental”, responde a responsável pelo ACES, que fez questão de sublinhar a atenção que se deve dispensar a quem dá de si para tratar familiares. “No ACES temos projetos em que o nosso interesse é não só dar atividades que os possibilitem sair da rotina, mas também criar situações para que eles tenham alguns momentos livres para tratarem das suas coisas e poderem ter, de facto, qualidade de vida. Só assim poderemos ter uma relação saudável que permita os devidos cuidados para doente e cuidador”, sustentou.

Presente na sessão de abertura do evento, o vereador da Saúde da Câmara Municipal de Santo Tirso, José Pedro Machado, reforçou o esforço feito a nível autárquico na área da gerontologia e apoio aos seniores, anunciando “a candidatura à Organização Mundial de Saúde” para que Santo Tirso seja reconhecida como “cidade amiga das pessoas idosas”.

“Com os parceiros que temos na nossa rede, conseguimos que as nossas políticas cheguem a mais pessoas. Mas, antes disso, é preciso pôr as pessoas a discutir, saber o que é que nós queremos e o que é que nós precisamos e daí a realização de iniciativas como esta”, atestou.

Videos

Loading...

Siga-nos

1ª pagina edição Papel

Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma experiência mais personalizada. Ao navegar está a permitir a sua utilização