https://bit.ly/3llPPDx

https://muroplaco.pt/pt

COVID-19: Número de novos casos começou a descer em Santo Tirso. Em Famalicão, abrandou velocidade de propagação

De 15 a 21 de novembro, o número de novos casos no concelho de Santo Tirso caiu 23 por cento relativamente ao registado na semana anterior.

É o que refletem os números da Administração Regional de Saúde do Norte, que dão conta de que nesta semana foram contabilizados 585 novos casos, quando na semana anterior, tinham sido registados 760.

Um indicador muito positivo, que faz com que a curva epidemiológica do concelho tenha entrado em sentido descendente, depois de várias semanas a subir.

Em Vila Nova de Famalicão, também há um fator positivo: houve crescimento do número de novos casos, mas em muito menor expressão do que nas semanas anteriores. Ou seja, de 15 a 21 de novembro registaram-se 1439 novos infetados, um aumento de nove por cento relativamente à semana de 8 a 14 de novembro, com 1316 casos. Nesta semana, tinha havido um crescimento de 46 por cento relativamente ao período de 1 a 7 de novembro. Percebe-se, por esta variação, que houve um abrandamento da velocidade de propagação.

Ainda assim, a última semana de registos é ainda preocupante, uma vez que faz de Vila Nova de Famalicão o quarto concelho da área de jurisdição da Administração Regional de Saúde do Norte com maior incidência (1093 novos casos por cem mil habitantes).

Santo Tirso melhorou muito a situação neste ranking e surge no 17.º lugar, com uma taxa de incidência da última semana de 859,6 novos casos por cem mil habitantes.

Relativamente à quinzena de 8 a 21 de novembro – período pelo qual a DGS determina o nível de risco de cada concelho – ambos mantém-se no mais elevado: Famalicão, com um total de 2755 infetados, apresenta uma taxa de 2092 casos/100 mil habitantes e Santo Tirso, com 1345 infetados, tem uma incidência de 1976 casos/100 mil habitantes.

Já a Trofa, no total dessa quinzena, registou 739 casos, o que o quer dizer que, nesse período, apresenta uma taxa de incidência de 1924 casos por 100 mil habitantes.

Veja o gráfico

Leia também...