CNE de Lemenhe assinalou meio século de existência

Em Lemenhe existe agora um marco para lembrar a toda a comunidade que o escutismo faz parte da história e do presente desta freguesia do concelho famalicense.

A rotunda existente na Rua Padre Domingos Alves Pereira passou a designar-se “Rotunda do Escuteiro”, numa homenagem promovida pelo Corpo Nacional de Escutas de Lemenhe a todos aqueles que fizeram parte deste agrupamento, fundado em maio de 1969.

O momento foi um dos pontos altos das comemorações do 50.º aniversário do CNE de Lemenhe, que decorreram este sábado, dia 25 de maio, com a presença do presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha.

Para o edil famalicense esta foi uma “excelente forma de dizer obrigado” e um sinal para que Lemenhe “sinta a presença do escutismo na comunidade como uma escola de valores, de boas práticas e como um percurso acertado para que muitos jovens alicercem o seu projeto de vida”.

O fundador do agrupamento não faltou às celebrações. Cinquenta anos passados desde a criação do CNE de Lemenhe, Agostinho Azevedo diz que tudo valeu a pena. “Na altura o entusiasmo já era enorme e passados cinquenta anos muitos ainda cá estão”, disse.

Notícias relacionadas...

Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma experiência mais personalizada. Ao navegar está a permitir a sua utilização