Camisaria Machado veste António Costa e Paulo Cunha (C/ Vídeo)

Na Camisaria Machado o cliente é a maior preocupação e a camisa é personalizada ao seu gosto e tamanho. O executivo da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão visitou, no dia 9 de maio, o estabelecimento, em Joane.

Quando o assunto são camisas há um famalicense que se destaca: Alcindo Machado.
Alcindo Machado começou a trabalhar numa confeção, depois juntou o gosto pela arte ao jeito que a esposa, Maria Lúcia, tinha para costurar e começou a aventura. O irmão de Maria Lúcia serviu de modelo para a primeira camisa cortada por Alcindo, num atelier improvisado numa cozinha. As encomendas sucederam-se e criou, com a esposa, há cerca de 30 anos, em Joane, a Camisaria Machado. Aos 62 anos, Alcindo Machado tem o seu próprio espaço, a esposa continua a ser companheira de aventura e as encomendas não param. A precisão do colarinho, o pormenor dos punhos ou o nome bordado fazem das camisas de Alcindo Machado um sucesso.
O alfaite famalicense desenha e corta 12 camisas por dia, com valores a partir dos 45 euros, e tem clientes bem reconhecidos do panorama nacional. O primeiro-ministro, António Costa, e o presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, são clientes da Camisaria Machado. “Há clientes que têm os ombros muito descidos e, nesse caso, a camisa tem que ter um corte diferente”, o importante é “que a pessoa goste”, explicou o alfaiate famalicense. Na Camisaria Machado cada cliente é um cliente e cada camisa é uma camisa. Alcindo Machado não pensa, para já, arrumar as tesouras, ainda assim já há um sucessor para o cargo de alfaite na Camisaria. Tiago Machado é o segundo de três filhos e já se prepara para “aprender o ofício”. Antes de por em prática a arte da costura, há pormenores a melhorar no negócio do pai. “O próximo passo é fazer um site onde as pessoas possam pedir a sua camisa online, personalizá-la e ter o resultado visual do produto final online, com o tipo de colarinho, de frente e de punho”, afirmou Tiago Machado. Esta passagem de testemunho deixa Alcindo “muito contente”, uma vez que, de outra forma, o grande número de clientes seria “uma perda muito grande”, considerou Alcindo.
A qualidade e o facto de adequar a camisa a cada cliente são para o presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, fatores que diferenciam a Camisaria Machado. “Associam à qualidade esta capacidade de adequarem o produto ao cliente. A chamada costumização é uma mais-valia enorme”, afirmou Paulo Cunha. As matérias-primas que Alcindo Machado usa são de Vila
Nova de Famalicão e são “um sinal da pujança do concelho na região”, além disso são “mais uma demonstração de que o têxtil está bem vivo”, assegurou o presidente. “Através da camisaria Machado o nome de Famalicão vai para todo o mundo”, afirmou Paulo Cunha. Facto que a família Machado confirma, uma vez que Nova Iorque, Londres, Suiça, Espanha e até a Brodway já receberam camisas confecionadas em Joane.
Alcindo Machado aprendeu sozinho a arte do corte e da costura, e, para já, não deixa a tesoura. “Enquanto eu puder estarei sempre aqui”, afirmou o alfaiate. Quando Alcindo Machado decidir deixar a costura tem a garantia de que nesta vila famalicense os filhos vão continuar a levar o nome da Camisaria Machado aos quatro cantos do mundo e os clientes ficam com a certeza de que as suas camisas vão continuar a ser personalizadas.

 

Notícias relacionadas...

Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma experiência mais personalizada. Ao navegar está a permitir a sua utilização