https://autosolucoes.pt/viaturas/

Autarcas discutem em Famalicão combate às fake news na comunicação municipal

Dezenas de autarcas de todo o país vão participar num seminário, em Famalicão, onde vai discutir-se os desafios e as tendências da comunicação municipal, nomeadamente o fenómeno das “fake news”.

“O problema maior da comunicação política é a autenticidade ou a falta dela. E essa falta de autenticidade leva ao descrédito da política e dos líderes políticos. A variável autenticidade é um elemento chave da comunicação política e municipal, porque a comunicação municipal é também ela política”, afirmou, em declarações à Lusa, Custódio Oliveira, da organização.

A iniciativa, que decorre quinta e sexta-feira na Casa das Artes de Famalicão, destina-se aos responsáveis e técnicos de gabinetes de comunicação e interessados em comunicação autárquica a quem cabe estar preparado para os novos desafios da comunicação municipal.

Segundo a organização, este ano, o número de inscritos ultrapassou as expectativas, tendo até sido recusado um número significativo de participantes por falta de capacidade da sala. Entre os 130 participantes estão inscritos vereadores, vice-presidentes e chefes de gabinetes de municípios de todo país.


“O desafio do seminário é trazer novos conhecimentos, novas experiências àqueles que fazem comunicação municipal em Portugal”, afirmou Custódio Oliveira.

Para aquele responsável, as “fake news” são um fenómeno de hoje, mas o problema da falta de autenticidade da comunicação política em geral, e da comunicação municipal em particular, é anterior.

“A comunicação municipal tem que ser normativa, tem que cultivar valores como o rigor e a autenticidade. Se não estiverem presentes estes valores, temos algo que vai virar-se contra os próprios autores”, sublinhou.

O tema vai ser discutido no primeiro dia de seminário, que reúne investigadores ligados às universidades de Porto, Minho, Católica do Rio de Janeiro e Barcelona.

Na quinta-feira, o seminário, o vigésimo nono em 18 anos, abordará as seguintes temáticas: “A comunicação e as fake news”, “Inovação na Comunicação e marketing digital”, “Spin Doctoring nas autarquias”, “Do storytelling ao framing, da mensagem à comunicação por processos”, “Brasil: as mudanças na comunicação com a eleição do Presidente Bolsonaro” e “Os chefes de gabinete e os assessores na comunicação municipal”.

O primeiro dia termina com uma tertúlia sobre “Os novos desafios e as tendências inovadoras na comunicação municipal”.

“Hoje há consenso à volta disto: a comunicação tornou-se num dos principais ativos das empresas e das organizações e os líderes começam a ter consciência disto, é um ativo que cria valor”, disse Custódio Oliveira.

Já na sexta-feira, Carlos Magno, fala da regulação da imprensa municipal, a partir da sua experiência como presidente da Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC).

O colóquio termina na manhã de sexta-feira, mas para a tarde, como programa complementar, é dada a possibilidade de os participantes visitarem a Casa Museu de Camilo Castelo Branco, em S. Miguel de Seide, tendo assegurado o transporte e a visita guiada.
Lusa

Leia também...