Santo Tirso reduz preço do lixo

O novo tarifário para os serviços de resíduos urbanos para 2020, a entrar em funcionamento a partir de junho, volta a prever uma redução entre dois e 10 por cento para os consumos entre os 15 e os cinco metros cúbicos, respetivamente.

“Pelo segundo ano consecutivo, optámos pela redução do tarifário em benefício das famílias e empresas. Estamos a falar de uma diminuição considerável, que para a maioria dos consumidores particulares – que se situa em média nos 7,9 metros cúbicos – significa uma descida para 7,66 euros por mês, contra os 8,30 euros suportados até 2018, ou seja de 7,7 por cento”, refere Alberto Costa, presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso.

O novo tarifário, estabelecido em função dos consumos de água e aprovado na reunião de câmara desta quinta-feira representa, assim, uma redução de dois por cento/mês para os consumidores com 15 metros cúbicos abrangidos pela rede pública de água e de 10 por cento para os consumidores com cinco metros cúbicos beneficiários do serviço de recolha domiciliária, nomeadamente na cidade de Santo Tirso e na freguesia de Vila das Aves.

Por sua vez, um consumidor médio com rede pública de água beneficiário da recolha coletiva, fora destes dois polos urbanos, vai manter uma redução na fatura do lixo de 5 por cento, isto é, em vez de pagar 6,50 euros pela tarifa fixa que vigorou até 2018, vai pagar 6,16 euros em 2020, para um consumo de 7,9 metros cúbicos.

O mesmo se passa com os consumidores não domésticos, nomeadamente estabelecimentos comerciais e industriais, profissões liberais e organismos do Estado, em que a redução pode chegar aos 34 por cento, para um escalão de 240 litros/mês de produção de resíduos urbanos.

A partir de junho deste ano, as famílias mais carenciadas também não vão sentir qualquer agravamento na fatura do lixo, com o autarca a explicar que “será mantida a descida de 80 por cento”, ou seja, “assumem apenas uma despesa de 1,26 euros pelo serviço”.

Uma vez mais, a proposta de tarifário para o ano de 2020 merece uma classificação “BOA” por parte da ERSAR, no que diz respeito ao indicador “Acessibilidade Económica”, que mede o rendimento disponível de cada família para fazer face às despesas com o serviço de lixo.

O tarifário para o ano de 2020 só não tem um impacto maior nos orçamentos dos agregados familiares e das empresas, por força da obrigatória atualização da Taxa de Gestão de Resíduos, da inteira responsabilidade do Estado, que passa de 9,82 por cento em 2019 para 11 por cento em 2020, com vista a incentivar a separação do lixo e a promover a reciclagem.

Obrigado por ler esta notícia

Veja tambem