Select Page

Mais de 2300 árvores para reabilitar território

Mais de 2300 árvores para reabilitar território

Duzentos e trinta e quatro amieiros, 110 carrascos, 500 salgueiros; 130 carvalhos roble, 736 lentiscos bastardo, 250 tramazeiras, 115 mostajeiros e 300 teixos são as árvores que vão ser plantadas em Famalicão.

No âmbito da candidatura ao programa “Floresta Comum”, a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão acaba de receber 2375 árvores, de espécies autóctones, que vão contribuir para o projeto “25 mil árvores até 2025”. Segundo fonte da autarquia, as árvores estão neste momento no Berçário Municipal à espera do “momento ideal para a sua plantação”.
Para a realização do projeto “25 mil árvores até 2025”, a Câmara Municipal “já conseguiu arrecadar perto de oito mil árvores para plantação em áreas urbanas, espaços rurais, ao longo das linhas de água e em montes e serras”. Recorde-se que o projeto tem como “objetivo reabilitar aproximadamente 25 hectares do território concelhio e será concretizado nos próximos anos até 2025”. Até agora, muitas das árvores do projeto foram adquiridas pela autarquia, mas “a grande maioria foi oferecida por escolas e instituições”, adiantou fonte da Câmara.
Para o presidente, Paulo Cunha, “é muito importante envolver toda a comunidade neste projeto, principalmente as novas gerações, sensibilizando-as para a preservação da natureza e do meio ambiente”. “Rearborizar significa devolver vida, proteger a natureza, criar condições de futuro para a comunidade”, referiu.
Quanto ao Programa “Floresta Comum”, este tem como missão “promover a produção, angariação e distribuição de árvores autóctones, a projetos que demonstrem motivação, comprovem competências e possuam os meios necessários para proceder ao plantio e cuidado das florestas que tencionam plantar”.

Videos

Loading...

Siga-nos

1ª pagina edição Papel

Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma experiência mais personalizada. Ao navegar está a permitir a sua utilização