Limites entre Famalicão, Santo Tirso e Trofa aprovados em Assembleia da República – 1 de Abril

As fronteiras dos concelhos de Vila Nova de Famalicão, Santo Tirso e Trofa ainda continuam por definir. 
A notícia que avançamos na tarde de sexta-feira em que referimos que os limites tinham sido aprovados em plenário da Assembleia da República trata-se do nosso engano de 1 de abril.

Foi aprovado, hoje, em plenário da Assembleia da República a definição dos limites geográficos entre os concelhos de Vila Nova de Famalicão, Santo Tirso e Trofa. Apesar de se manterem provisórios, até à publicação em Diário da República, que deverá acontecer nos próximos 15 dias, na reunião ficou definido que a zona do Alto da Cruz, em Lousado, Vila Nova de Famalicão, passa a ser parte integrante da freguesia de Bougado, concelho da Trofa, bem como a restante parte da freguesia de Lousado na margem sul do Rio Ave.
Pela perda desta parte da freguesia para o concelho da Trofa, o Município trofense tem de indemnizar o Município famalicense em 1,5 milhões de euros.
Com esta divisão, aprovada em plenário, passa a ser o meio do Rio Ave a delimitar as fronteiras entre o Município de Vila Nova de Famalicão e o da Trofa. Metade da ponte de Ribeirão passa a ser da Trofa, bem como a da Lagoncinha.
Na mesma sessão foram aprovados os limites definitivos entre Santo Tirso e Trofa. A Carta Administrativa Oficial de Portugal (CAOP) definiu que o meio da autoestrada número 3 era a fronteira dos concelhos. O Município de Santo Tirso fica com a zona industrial de Fontiscos, mas perde parte da aldeia Várzea do Monte para o concelho da Trofa.
O assunto foi levado à discussão na manhã de hoje e depois aprovado com os votos favoráveis do PSD e PS. O PAN votou contra, enquanto o PCP, CDS, BE e PEV abstiveram-se.

Uma reportagem para ler na próxima edição do Jornal do Ave, no dia 13.

Obrigado por ler esta notícia

Veja tambem