Faleceu mentor do Museu Internacional de Escultura Contemporânea

O escultor Alberto Carneiro, natural de S. Mamede do Coronado faleceu a 15 de abril, vítima de problemas de saúde prolongados, no Hospital de S. João do Porto. Em Santo Tirso, deixou uma obra incomparável, como a que resultou na criação do Museu Internacional de Escultura Contemporânea.

“O artista nunca acaba a sua obra”. Este era o entendimento de Alberto Carneiro sobre o processo artístico. Com as árvores, origem do material favorito, a madeira, tinha uma “relação visceral”, pois vivia na procura incessante da “sua essência”. “Procura-se. Procura-se. Procura-se. Está algures. Nunca se revela. Mas procura-se”, explicou, um dia, em entrevista ao jornal “Público”. A ligação às origens toldaram-lhe a forma como viveu a arte, não a desligando da vida, pelo contrário, ligando-a através da Natureza e da natureza do Homem.

Leia a notícia completa na edição 81 do Jornal do Ave, nas bancas até 26 de abril.

Notícias relacionadas...

Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma experiência mais personalizada. Ao navegar está a permitir a sua utilização