https://emac.autosolucoes.pt/

Estudo revela que retalhistas vão adotar ferramentas digitais nas lojas físicas para estimular vendas

Depois de mais de um ano e meio marcado por uma pandemia que fechou as lojas ao público, os retalhistas estão a adotar novas ferramentas digitais com o objetivo de oferecer aos clientes uma experiência de compra mais confortável e segura.

Esta é a principal conclusão da eMarketeer, consultora especialista em análises de mercado, que, com base na experiência de alguns retalhistas europeus, aponta para que a tendência em 2022 seja, entre outras coisas, aponta para a expansão das funcionalidades de pagamentos integrados, terminais de pagamento e das máquinas de venda automática em loja, de modo a garantir o cumprimento da distância social entre clientes.

Por exemplo, na Alemanha, a Shopify já está a oferecer aos retalhistas uma oferta de pagamentos integrados e terminais de pagamento mais alargada que lhes irá permitir facilitar as compras nas lojas físicas e conectar de forma mais eficiente os comportamentos online e offline.

Já a retalhista de moda & Other Stories está a apostar na instalação de máquinas de venda automática nas lojas físicas do grupo para que os seus clientes possam experimentar perfumes e produtos cosméticos antes de comprarem de forma socialmente distanciada.

Contactless cresce em toda a Europa

O lado mais visível de toda esta tendência pode ser observada no crescimento que a tecnologia contactless tem vindo a registar em toda a Europa durante os últimos meses.

De acordo com o eMarketeer,

  • na Alemanha, 46% dos adultos com idade igual ou superior a 16 anos afirmou utilizar um cartão com contactless para pagamentos em loja física várias vezes por dia, diariamente ou pelo menos uma vez por semana;
  • no Reino Unido, 48% dos consumidores indicou que ou começou a usar métodos de pagamento sem contacto, ou usou-os com maior frequência, devido à pandemia;
  • 40% dos adultos franceses cita a velocidade como uma das razões para sua confiança nos pagamentos sem contacto sendo que 29% deles nota ainda a sua simplicidade quando comparado com os métodos de pagamento “tradicionais”.

Pagamento sem contacto nas lojas físicas em Portugal

Esta tendência de crescimento do contactless nos pagamentos em loja física é também observada em Portugal.

Segundo a solução de conhecimento REDUNIQ Insights, a 2 de janeiro deste ano, os pagamentos contactless representavam já 52% do total de operações efetuadas na rede de pagamentos da REDUNIQ, marca da UNICRE – instituição financeira de crédito, um valor que contrasta com os 36,1% e os 8,5% registados em igual período de 2020 e 2019, respetivamente.

Numa nota que acompanhava o report REDUNIQ Insights, é referido que esta percentagem de 52% vem comprovar a gradual consolidação dos pagamentos sem contacto, e até uma crescente adesão dos portugueses a novas formas de pagar baseadas na utilização do smartphone ou wearables.

Se, como se percebe, a adoção deste tipo de ferramentas digitais acaba por ser importantíssima no acompanhamento dos novos hábitos de consumo, especialmente num momento em que o Eurostat mostra um aceleramento das vendas do comércio a retalho em toda a Europa e, em particular, em Portugal (+2,8%), um dos países que mais cresce neste item.

Desta necessidade dos negócios se ajustarem às necessidades e preferências dos consumidores, a REDUNIQ, através do desenvolvimento tecnológico de terminais de pagamento (TPA) inovadores, está a ajudar os retalhistas a adotarem ferramentas digitais nas suas lojas físicas de modo a estimularem as suas vendas.

Um belo exemplo disso mesmo, é o terminal de pagamento automático Android REDUNIQ Smart que, além de aceitar pagamentos por cartão por contactless , chip, MB WAY, Google Pay e Apple Pay, traz incorporadas um conjunto de apps de gestão que auxiliam os negócios e lhes permitem ser totalmente móveis e digitais.

Leia também...