https://muroplaco.pt/pt

3600 cabazes de Natal entregues a famílias carenciadas

O bacalhau, o azeite e a aletria já foram encaixotados e estão prontos a ser entregues às famílias carenciadas do concelho de Vila Nova de Famalicão.

A doação é da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão e reforçada graças ao envolvimento das juntas de freguesia e outras instituições, que contribuem com outros bens alimentares, apetrechando os cabazes que visam dar algum conforto a quem vive dificuldades socioeconómicas.
Paulo Cunha, edil famalicense, entregou, simbolicamente, cabazes aos presidentes de Junta de Freguesia de Riba de Ave e Joane, que, assim como os restantes autarcas de freguesia, terão a responsabilidade de os fazer chegar aos destinatários. Ao todo, serão entregues 3600 cabazes, numa medida política promovida no âmbito da dinamização da Rede Social de Famalicão, que também conta com a colaboração de Conferências Vicentinas e diversos agentes sociais.
E “só com a interação destas entidades é possível fazer um trabalho bem feito”, defendeu o autarca que, mais do que “conceder o apoio” e olhar a números, valoriza a “perceção” de que esta ação “tem retorno de chegar aos destinatários”. “Temos de ir ao encontro daqueles que evidenciam essa necessidade, mas também temos de conhecer aquelas famílias que, tendo necessidades, por razões múltiplas não nos abordam”, frisou.
Quanto ao número de cabazes atribuídos, similar aos que foram entregues o ano passado, Paulo Cunha considera ser reflexo da “permanência ao nível das necessidades sociais”.
Em Joane, os cabazes da autarquia serão apetrechados com outros artigos, graças à participação “da comunidade”. “Além das inscrições que temos, conhecemos as pessoas que precisam e que, por vergonha, não se inscrevem. A Junta de Freguesia entrega os cabazes, de forma escondida, porque as famílias não precisam de ser conhecidas pelo contexto social em que vivem”, sublinhou António Oliveira, presidente da Junta de Freguesia de Joane.
Também o executivo de Riba de Ave procede à entrega dos cabazes “de forma discreta”, num momento sempre carregado de “emoção”, testemunhou a autarca Susana Pereira. “É uma iniciativa que toca muito as pessoas”, sustentou.

“É preciso não esquecer que na esmagadora maioria das situações as pessoas que recebem agora um cabaz, ao longo do ano recebem apoios, muitos apoios, não só a nível alimentar como a outros níveis, como a ação social escolar. A Câmara Municipal tem tido um papel de vigilância, mas também de iniciativa e de capacidade de ação, convocando as entidades, onde em primeira instância aparecem as Juntas de Freguesia, mas onde também se incluem as IPSS, as misericórdias, as conferências vicentinas e os escuteiros”.
Paulo Cunha, Presidente da CM de Vila Nova de Famalicão

Leia também...