Auto Soluções

Transmissibilidade Covid-19 “muito elevada”. O alerta e as recomendações da DGS para a Páscoa

Numa conferência de imprensa de balanço sobre a situação epidemiológica em Portugal, Graça Freitas, Diretora-Geral da Saúde, alertou que a “epidemia mantém uma transmissibilidade muito elevada” e deixou algumas recomendações para o período da Páscoa.

A Diretora-Geral da Saúde alertou, esta quarta-feira, que a transmissibilidade da covid-19 ainda é “muito elevada”, apesar de a tendência geral decrescente e de o R(t) ser inferior a 1.

“A pandemia não acabou a nível global e em Portugal também não “e só na última semana foram reportados cerca de 60 mil casos de covid, número que ainda é elevado, avisou Graça Freitas numa conferência de imprensa de balanço sobre a situação epidemiológica.

Graça Freitas sublinhou ainda que a mortalidade por covid-19 traz “bastante preocupação”, adiantando que se encontra nos 28,6 óbitos a 14 dias por milhão de habitantes, valor que continua superior ao limiar de 20 óbitos a 14 dias por milhão de habitantes definido pelo Centro Europeu de Controlo de Doenças (ECDC) e que constitui uma das referências determinadas pelo Governo para o país passar para um nível sem restrições de controlo da pandemia.

A diretora-geral da Saúde ressalvou que já está a haver uma “tendência ligeiramente decrescente” da mortalidade, mas, ressalvou, “vamos ver se mantém ou não”.

Em época de Páscoa, a Diretora-Geral da Saúde pediu que os espaços fechados continuem a ser arejados e recomendou o uso de máscara em convívios, especialmente quando há “contacto com pessoas mais vulneráveis” (principalmente dos mais velhos, mais doentes e pessoas que estão em instituições).

As “grandes recomendações” passam ainda pelo isolamento dos doentes infetados e pela realização de testes para “a participação em convívios mais alargados”.

A Diretora-Geral da Saúde adverte que “estamos longe de um verão descontraído e seguro” e que é necessário “continuar a vigilância epidemiológica e recomendar as medidas de proteção individual” (o uso da máscara obrigatória em espaços fechados, a lavagem das mãos, a etiqueta respiratória).

O Governo prolongou esta terça-feira a situação de alerta devido à pandemia de covid-19 até ao dia 22 de abril. A situação de alerta, nível mais baixo de resposta a situações de catástrofes da Lei de Base da Proteção Civil, terminava no próximo dia 18.
“Foi aprovada a resolução que prorroga a declaração da situação de alerta, no âmbito da pandemia da doença covid-19, até às 23:59 do dia 22 de abril de 2022”, refere o comunicado do Conselho de Ministros.

Segundo o Governo, a resolução “mantém inalteradas as medidas atualmente em vigor”.

Entre as medidas em vigor está a obrigatoriedade do uso de máscara em espaços interiores públicos, serviços de saúde e transportes.

Leia também...