Select Page

Scoutirso ajuda a “Proteger” património (c/ vídeo)

A terceira edição do Scoutirso, realizada no dia 21 de abril, parece ter agradado os escuteiros que, durante um dia, e sob o lema “Proteger”, conheceram mais do património e recursos naturais do Município de Santo Tirso.

De manhã bem cedo, as quatro secções dos vários Agrupamentos dividiram-se para desenvolver diversas atividades, que permitiram o convívio entre os escuteiros. Ana Maria Ferreira, do Agrupamento 185 Areias, contou ao JA que a edição deste ano “foi muito melhor” que a de 2017, uma vez que houve “mais atividades”. Gonçalo Mesquita, do Agrupamento 1348 Lama, corroborou: “Este ano foi mais organizado e fizemos mais atividades”.
As expectativas de Vera Nunes, do Agrupamento 1291 Água Longa, também foram superadas. “Adorei. Apesar de cansativo, foi um dia espetacular”, revelou a jovem.
Quanto ao tema explorado este ano – “Proteger” – foi considerado “importante” pelos escuteiros. Gonçalo Mesquita defendeu que “é preciso saber como devemos proteger a Natureza”, por isso o tema que foi explorado este ano – “Proteger” – foi considerado “importante” pelos escuteiros.
Cada secção desenvolveu atividades distintas. Enquanto os lobitos criaram uma espécie de “ZooTirso”, com jogos alusivos à proteção dos animais, os exploradores envolveram-se no projeto das “100 mil Árvores” e ajudaram a reflorestar o Monte Padrão, ao fazer e lançar “bombas de sementes”.
Os Pioneiros participaram numa caminhada desde Água Longa até Monte Córdova, através dos percursos junto ao Rio Leça, cuja água também mereceu da parte dos jovens uma análise de qualidade. Por sua vez, os Caminheiros passaram a manhã com entidades da Proteção Civil para conhecer qual a respetiva área de intervenção.
A atividade é promovida pela autarquia de Santo Tirso que, em conjunto com os diversos Agrupamentos, decide qual o tema e as atividades a desenvolver neste encontro anual. “Hoje (sábado), tivemos quase 400 escuteiros. É um dia bastante importante para o escutismo, porque Santo Tirso tem a particularidade de ter 14 agrupamentos e uma companhia de guias, que estão distribuídos por três núcleos e duas dioceses. Este momento permite juntá-los todos”, explicou o vereador da Cultura da autarquia tirsense, Tiago Araújo.
Perante o feedback positivo dos participantes, a porta da continuidade está aberta. “Segundo o que fomos conversando com os vários dirigentes e escuteiros, a iniciativa foi muito proveitosa para todos e há o pedido para que haja uma continuação no próximo ano e cá estaremos, com outro tema decidido por eles”, assegurou o autarca.
Depois de um dia recheado de atividades, o encontro terminou com uma Eucaristia na Igreja de Monte Córdova.

Videos

Loading...

Siga-nos

Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma experiência mais personalizada. Ao navegar está a permitir a sua utilização