Select Page

Scoop confecionou para os Jogos Olímpicos de Inverno

Scoop confecionou para os Jogos Olímpicos de Inverno

O equipamento dos dois atletas que representaram Portugal nos Jogos Olímpicos de Inverno PyeongChang 2018 foi confecionado por uma empresa famalicense.

O Comité Olímpico Português (COP) desafiou a empresa Scoop, sediada em Cavalões, no concelho de Vila Nova de Famalicão, a “fazer parte deste evento e a criar os fatos que a missão” usou entre os dias 9 e 25 de fevereiro. Em nota de imprensa, fonte da Scoop adiantou que a empresa “empenhou-se em mostrar as capacidades” que os tornam “uma das mais completas da indústria têxtil em Portugal”, o que “está visível nas peças que alta qualidade técnica”.
No mesmo documento, fonte da Scoop referiu que “todas as peças foram pensadas de forma a implementar o planisfério, realizado por Alberto Cutileiro e pelas Oficinas do Museu da Marinha, em maio de 1970”, que “representam as principais navegações efetuadas pelos portugueses”. No planisfério é visível a “indicação das rotas, a linha divisória estabelecida pelo Tratado de Tordesilhas e elementos da flora e da fauna, entre outros, que foram sendo conhecidos como consequência dos Descobrimentos, à semelhança da cartografia” produzida à altura.
Segundo Pedro Farromba, chefe da missão portuguesa, o objetivo deste equipamento é mostrar “a ligação que existe com as comunidades portuguesas” e a “nossa matriz conquistadora”.
O chefe da missão portuguesa explicou que a Scoop foi a empresa escolhida por “ter a capacidade de criar um equipamento adequado para o tipo de desporto e para as temperaturas negativas de PyeongChang”.
De referir que, pela primeira vez, Portugal esteve representado em duas modalidades nos Jogos Olímpicos de Inverno, com Arthur Hanse, no esqui alpino, e Kequyen Lam, em esqui de fundo.

Videos

Loading...

Siga-nos

1ª pagina edição Papel

Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma experiência mais personalizada. Ao navegar está a permitir a sua utilização