Santo Tirso recua no tempo com Mercado Nazareno (C/Vídeo)

De 14 a 17 de abril, a Praça 25 de Abril, em Santo Tirso, entra na máquina do tempo e transforma-se, pelo quarto ano consecutivo, numa aldeia histórica.
Mais de cem atores e figurantes, 80 artesãos, e gastrónomos e mais de 20 recriações bíblicas vão dar vida ao Mercado Nazareno.

A Praça 25 de Abril contará ainda com espaços de restauração, produtos tradicionais e uma zona de diversão infantil.
Alguns momentos bíblicos associados a locais emblemáticos que ficaram marcados pela passagem de Jesus Cristo ao longo da sua vida até ao calvário e ressurreição serão apresentados ao vivo. Falamos, por exemplo, da Aldeia Canaá, caraterizada com palha e vedações em madeira, com animais de pequeno porte como galinhas, ovelhas, duas burrinhas, duas cabras caxemira e coelhos, Belém, onde estarão concentrados os artesãos e mercadores trajados à época e onde se poderá seguir a elaboração de ofícios antigos, como a moagem do trigo, a talha ou a curtimenta da pele. Hebrom caracteriza-se por ser uma zona de diversão infantil, onde as crianças terão à disposição jogos de destreza e equilíbrio, podendo conhecer as brincadeiras de outrora. Além disso, o espaço contempla ainda uma zona de restauração, denominada Pão Ázimo.
O Mercado Nazareno abre as portas pelas 10 horas de 14 de abril e encerra às 17.30 horas de 17 de abril. Entretanto, na sexta-feira, pode ver “A vida na Aldeia”, o “Voo do Falcão”, “O Batismo”, a “Chegada a Jerusalém” e a “Crucificação”, um dos momentos mais intensos.
No sábado, será encenada a “Descida da Cruz e Enterro”, o “Voo da Ave de Rapina”, “A Mãe e a sua infinita dor” e “O milagre de S. Lázaro”.
No dia de Páscoa, um dos pontos altos da iniciativa, a “Ressureição”, está agendado para as 14.30 horas. Mais tarde, pelas 21.30 horas, será encenada a “Aparição”. No último dia de Mercado Nazareno, será apresentada, de manhã, a “Palavra de Deus” e, para encerrar, “A Última Ceia”.
Gastronomia, couros, madeiras, cortiças, joalharia, marionetas e brinquedos vão fazer as delícias de miúdos e graúdos, durante o tempo pascal.
“Queremos que as pessoas tenham a oportunidade de vir a Santo Tirso comemorar a Páscoa, revivendo a história de Jesus, através das dramatizações históricas, mas também dando a conhecer os artesãos do concelho e da região”, asseverou Joaquim Couto, presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso.
A entrada é livre e são esperados “mais de 30 mil visitantes do Norte de Portugal e Galiza”. Mais informações sobre o programa podem ser consultadas no site www.cm-stirso.pt.

Veja a reportagem de 2016

Obrigado por ler esta notícia

Veja tambem