Santo Tirso, Famalicão e Trofa unem-se para criar rede de transportes

Depois de Joaquim Couto, presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, ter anunciado o desenvolvimento de um projeto para a criação de uma rede intermunicipal de transportes, foi a vez de o homónimo de Vila Nova de Famalicão confirmar a intenção. 

Paulo Cunha falou pela primeira vez do assunto na reunião de executivo de 13 de abril, devido à apresentação da proposta para a celebração de um acordo de cooperação com os municípios de Santo Tirso e Trofa.
Para o autarca famalicense, este projeto representa “um novo modelo de transporte que vai melhorar significativamente as condições” da população relativamente às soluções existentes atualmente. Já Joaquim Couto, que se referiu ao projeto na apresentação do plano de mobilidade sustentável do concelho de Santo Tirso – a 7 de fevereiro – afirmou tratar-se de uma “gestão global adequada às necessidades das pessoas”.
“Os três municípios (Santo Tirso, Trofa e Famalicão) gastam seis a sete milhões de euros com transportes escolares. Este dinheiro será muito mais útil se ajudar a financiar essa rede, criando uma escala de 400 mil habitantes, que tem alguma ponderação para que os operadores privados e públicos possam ter um nicho de mercado. Traduz-se num financiamento conjunto entre municípios, com ou sem fundos comunitários, com tarifário único e otimização dos recursos técnicos e financeiros”, afiançou.
Na mesma senda, Paulo Cunha afirmou que o executivo municipal está “consciente” do “impacto” que este acordo “tem no futuro da região, na fixação de população e na criação de emprego”.
Cada um dos municípios vai investir 15 mil euros para a elaboração do estudo que tenha como indicadores o movimento de passageiros, nomeadamente os horários, os destinos e o número de pessoas envolvidas. “Tudo isto tem que ser muito bem equacionado para quando lançarmos o concurso público termos uma métrica e dados concretos para que as empresas no mercado percebam que estas linhas de transporte que vão ser criadas são sustentáveis”, salientou Paulo Cunha.
Além deste projeto, Vila Nova de Famalicão tem em curso “diversas iniciativas” quer ao nível do Quadrilátero Urbano com a interação dos quatro municípios (Barcelos, Braga, Famalicão e Guimarães), quer ao nível da Comunidade Intermunicipal do Ave com a interação dos oito municípios (Famalicão, Guimarães, Vizela, Fafe, Póvoa de Lanhoso, Cabeceiras de Basto, Mondim de Basto e Vieira do Minho), mas também de uma forma bilateral como acontece agora entre estes municípios que são vizinhos, tendo em vista a criação de um novo modelo de transporte que vai melhorar significativamente as condições dos famalicenses relativamente ao modelo que hoje existe”, afiançou o autarca famalicense.

Obrigado por ler esta notícia

Veja tambem