SAD do Aves estuda fusão com Futebol Clube de Perafita e transição para Matosinhos

“O futuro desta administração passa por quebrar o protocolo com o Clube Desportivo das Aves e estabelecer uma fusão com outro clube a longo prazo. Se for o Perafita, excelente. Nesta fase temos o uso das instalações deles quase protocolado e só falta a assinatura de uma das partes”, referiu à agência Lusa a acionista Estrela Costa.

Os associados do clube de Matosinhos reúnem-se em 21 de setembro em assembleia-geral extraordinária para finalizar a receção de candidaturas às eleições dos órgãos sociais e discutir a constituição do plantel sénior em 2020/21, que integra a I Divisão distrital portuense e tem estreia prevista para 11 de outubro, na casa de Os Lusitanos.

“Dou-me bem com a administradora, houve conversas com a SAD do Aves e as coisas estão encaminhadas, mas ainda não está nada assinado. Na próxima semana poderá haver novidades. Gostava que o Perafita continuasse a ter seniores, mas alguns sócios estão a insurgir-se contra isso”, partilhou à Lusa Pedro Vaz, líder dos matosinhenses.

A SAD do Desportivo das Aves foi autorizada a usar as instalações do Perafita para arrancar os trabalhos de pré-época com 17 jogadores, sob orientação de Paulo Gentil, quando faltam nove dias para a deslocação ao terreno do Berço, em encontro da jornada inaugural da Série B do Campeonato de Portugal, terceiro escalão nacional.

“Este projeto trará uma simbiose entre os dois clubes e fico muito satisfeito por isso. Em relação às expectativas, nesta fase somos candidatos a discutir os três pontos em cada jogo, procurando sermos competitivos. Assumir já a candidatura à II Liga é prematuro e não tem sentido”, analisou à Lusa o técnico do renovado projeto dos nortenhos.

Paulo Gentil, de 54 anos, cumpriu na última época a terceira passagem pelo comando técnico do Perafita, depois de ter somado passagens por Leça, Paredes, Mondinense, Candal e Celoricense, considerando que a instalação da SAD do Desportivo das Aves irá “trazer mais adeptos ao estádio” e “dinamizar muito a localidade” matosinhense.

“Começamos um pouco em inferioridade face aos outros clubes, mas iremos dedicar-nos com trabalho, dedicação, vontade e alguma dinâmica para chegar o mais depressa possível ao patamar dos adversários diretos. Esta série é extremamente competitiva e tem muitas equipas de qualidade e ambiciosas no projeto de subida”, agregou.

A fusão dos dois emblemas nortenhos e a apresentação da nova identidade visual estão pendentes da deliberação do Tribunal da Comarca de Santo Tirso sobre as ações de destituição e despejo da administração da SAD liderada pelo chinês Wei Zhao, que foram solicitadas pela direção do Clube Desportivo das Aves, presidida por António Freitas.

A SAD do Desportivo das Aves registou sucessivos incumprimentos salariais ao longo da última temporada e consumou no relvado a descida à II Liga, tendo reprovado os requisitos de licenciamento das provas profissionais de 2020/21 junto da Liga de clubes e dispensado o recurso para o Conselho de Justiça da Federação Portuguesa de Futebol.

Os nortenhos acataram a despromoção na secretaria ao Campeonato de Portugal e têm sido acompanhados pelo administrador judicial provisório António Dias Seabra, já que beneficiam de um Processo Especial de Revitalização (PER), cuja lista provisória de pagamentos reparte dívidas totais de 17,1 milhões de euros por 110 credores.

A viabilização desse instrumento permitiu à SAD do Desportivo das Aves participar nos sorteios da fase regular do Campeonato de Portugal e da primeira ronda da Taça de Portugal, que trará a visita ao FC Felgueiras 1932, em 27 de setembro, enquanto o clube se prepara para competir na II Divisão distrital da Associação de Futebol do Porto.

Obrigado por ler esta notícia

Veja tambem