Roteiro da Juventude passou pela PASEC

O Roteiro da Juventude, levado a cabo pela secretaria de Estado do Desporto e Juventude, tem percorrido todo o país e esta segunda-feira, 27 de março, passou por Vila Nova de Famalicão. O secretário de Estado, João Paulo Rebelo, esteve na PASEC – Plataforma de Animadores Socioeducativos e Culturais – e ficou “maravilhado”.

A PASEC foi a primeira paragem do secretário de Estado no dia dedicado ao distrito de Braga. Uma “boa forma de começar” o Roteiro da Juventude, que procura “uma efetivação de aproximação ao movimento associativo juvenil”, clarificou João Paulo Rebelo. “Já tinha algumas notas do que era o trabalho desta associação, mas uma coisa é ler num papel, outra é chegar aqui e ver in loco o que é o trabalho destes jovens”, acrescentou.
Uma visita guiada pelas instalações da Casa das Ideias e uma conversa com os jovens da PASEC foram o suficiente para deixar o secretário de Estado “maravilhado”.
João Paulo Rebelo levou um bom exemplo e trouxe uma boa notícia. Este ano, “o IPDJ (Instituto Português do Desporto e Juventude) vai cumprir o pagamento da primeira tranche do financiamento às associações juvenis em abril, que é o que determina a lei e que, infelizmente, nos últimos anos não costumava acontecer”, avançou o secretário de Estado. João Paulo Rebelo frisou ainda que, em 2017, foi possível “crescer um bocadinho o apoio ao associativismo juvenil”, mas não quis especificar o valor do aumento. “No terreno, o que as associações me dizem é que, mais do que o valor, importa a altura em que recebem, porque também têm os seus compromissos e responsabilidades”, afirmou o governante.
O Roteiro da Juventude procura, “além de adequar políticas, valorizar as associações”, elucidou o secretário de Estado. Uma ideia que a presidente da PASEC, Susana Paiva, também defende, já que considerou a visita “imensamente importante para dar a conhecer o trabalho da associação”. “No município já é sobejamente conhecido, mas em termos nacionais nem tanto”, complementou.
Sofia Fernandes, vereadora da Juventude da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, acompanhou o secretário de Estado na visita à associação famalicense, considerando que os jovens da PASEC “sabem onde estão as carências e necessidades e, por isso, têm feito um trabalho exemplar junto da comunidade”. “Desde a exclusão social ao abandono escolar, todos os projetos têm sido muito bem-sucedidos e são muitos os casos de sucesso”, finalizou a vereadora.

Mas o que faz afinal a PASEC?

Através da dança, do teatro ou do desporto, o objetivo é trabalhar jovens e adultos para amenizar a exclusão social e o abandono escolar e manter nos seniores a vivacidade.
São vários os projetos levados a cabo por uma equipa de “cerca de dez pessoas”, que conta com “um grupo vasto de animadores” voluntários. Pedro Inocêncio tem 17 anos e descobriu a PASEC há dois, através de um concurso na sua antiga escola. “Gostei muito do que vivi e continuei a envolver-me cada vez mais. Trabalho com os mais novos e os mais velhos, a PASEC tem tudo o que eu procuro”, disse ao Jornal do Ave o jovem, garantindo que, enquanto lhe for possível, vai permanecer na associação.
A associação tem no terreno diversos projetos: PASEC Advantage é dedicado às pessoas com necessidades educativas especiais, PASEC in Group está ligado à promoção do protagonismo juvenil, PASEC GEO promove o desporto inclusivo, no Eurobairro trabalham a inclusão de comunidades em especial risco de exclusão, combatendo a iliteracia e a marginalidade em contexto de complexos de habitação social, PASEC Habitat é uma escola de adultos que procura promover o protagonismo cidadão dos adultos de forma a manterem-se ativos, estando “neste momento ativa em cinco polos, com a ajuda das juntas de freguesia”, e, ainda, o projeto PASEC ADN, para jovens em especial risco de exclusão e abandono escolar.
Este ano, em parceria com a Escola Bento Jesus Caraça, em Pedome, implementou-se ainda o Curso Técnico de Juventude, “que consiste em dar algumas aulas mais práticas (na PASEC), dois dias por semana, lecionando quatro disciplinas. Ou seja, os alunos que integram este Curso complementam a teoria lecionada na escola com uma vertente prática, de contacto “com o terreno, porque daí obtêm mais sucesso naquilo que estão a aprender”, explicou a presidente da PASEC, Susana Paiva.
A missão da PASEC é, segundo a presidente, “capacitar os jovens para se tornarem cidadãos ativos e melhores e com ideologias mais abrangentes” e, no caso dos adultos, “capacitá-los para terem uma vida ativa já na fase mais sénior”. “Sabemos que as pessoas chegam a uma determinada idade e começam a fechar-se um bocadinho nelas mesmas e a nossa ideia é trazê-las para aprenderem coisas novas e interagirem”, explicou.
Quanto ao trabalho que tem sido desenvolvido ao longo dos anos “o balanço é muito positivo”. “Na escola estamos a falar de uma taxa de sucesso na ordem dos 80 por cento, não apenas de sucesso escolar mas também do não abandono”, finalizou Susana Paiva.

Notícias relacionadas...

Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma experiência mais personalizada. Ao navegar está a permitir a sua utilização