Raclac cria unidade industrial única na Europa

A Raclac prepara-se para assumir a dianteira da produção de luvas de nitrilo na Europa. Depois de três anos de estudo, a empresa situada em Santiago da Cruz, no concelho de Vila Nova de Famalicão, lançou a primeira pedra da nave que vai albergar três linhas de produção num conceito que acredita ser único no mundo.

A produção, que já está a ser testada numa linha piloto, será cem por cento automatizada, ou seja, não terá intervenção humana desde a matéria-prima ao produto final, para que as luvas que são normalmente usadas nas áreas da saúde e alimentar estejam num ambiente menos contaminado possível.
O projeto, que demorou três anos a ser desenvolvido, foi apresentado a 8 de junho, na presença da secretária de Estado da Indústria, Ana Teresa Lehmann, e tem como objetivo projetar a Raclac no mercado internacional, numa área dominada pela Ásia.
Para Eduardo Rocha, presidente do conselho de administração da Raclac, o dia do lançamento da primeira pedra, foi “assinalável na história da indústria portuguesa”. “Estamos a falar de um investimento na ordem dos 20 milhões de euros para uma linha de produção com 48 robôs, que vai produzir 765 milhões de luvas por ano. É uma empresa única na Europa e, provavelmente, única no Mundo”, sublinhou. Mas os números não surpreendem só na produção. O volume de negócios terá, segundo Eduardo Rocha, um “impacto disruptivo”, com previsões de “15 milhões de euros” de faturação nos primeiros anos, podendo chegar aos “55 milhões” com o funcionamento das três linhas de produção que cabem na nova nave industrial.

 

Leia a reportagem na íntegra na edição n.º 134 do Jornal do Ave, já nas bancas.

About The Author

You might be interested in

Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma experiência mais personalizada. Ao navegar está a permitir a sua utilização