https://autosolucoes.pt/campanhas/

PSD e CDS-PP acertam coligação em Santo Tirso para as próximas eleições

A concelhia do PSD de Santo Tirso anunciou que Carlos Alves é o candidato do partido à Câmara Municipal. A candidatura será apoiada pela concelhia do CDS-PP que, na passada quarta-feira, num comunicado assinado por Miguel Rossi em conjunto com a líder do PSD de Santo Tirso, confirmou “o compromisso firme” das duas estruturas de disputar as eleições autárquicas em conjunto.

“O acordo de coligação agora alcançado será assinado nas próximas semanas, com a apresentação pública do candidato da Coligação PSD/CDS, Carlos Alves”, pode ler-se no mesmo comunicado.
Carlos Alves, que nas últimas eleições autárquicas encabeçou a lista do PSD/CDS-PP à Assembleia de Freguesia de S. Tomé de Negrelos, tendo sido o terceiro mais votado, tem 45 anos é casado, pai de duas filhas, cresceu no concelho de Mirandela, residindo no concelho de Santo Tirso desde 1999.
Professor do Ensino Básico, no Agrupamento de Escolas de Pedome, em Vila Nova de Famalicão, o agora candidato é ainda treinador de basquetebol das escolas de formação do Vitória Sport Club.
Na política, é tesoureiro da comissão política concelhia do PSD, partido do qual é militante desde 1994, tendo ainda assumido a liderança da JSD Mirandela, no mandato de 1995 a 1997. Curiosamente, em 2013, surge num vídeo de apoio a Joaquim Couto, candidato do PS, que acabou eleito presidente da Câmara Municipal naquele ano.
Agora encabeçando um projeto à direita, Carlos Alves é, segundo presidente da concelhia do PSD, Quitéria Roriz, o rosto de uma “candidatura vencedora, agregadora, onde todos serão poucos para construir um novo futuro para Santo Tirso, respeitando e elevando a história do nosso Partido e da nossa Terra”.
“Carlos Alves é um homem sério, dinâmico, trabalhador e conhecedor das necessidades bem como das potencialidades do nosso concelho de Santo Tirso, fruto da sua forte ligação à comunidade quer através do associativismo, quer através da educação”, referiu ainda a presidente do PSD Santo Tirso.

“A minha maior vantagem é ser uma pessoa como quase todos os habitantes de Santo Tirso”

Em declarações ao JA, Carlos Alves referiu que a candidatura que encabeça assenta num “projeto de tentar criar em Santo Tirso uma cidade, extremamente, inovadora, virada para as pessoas, com capacidade de servir a população e pôr Santo Tirso no mapa do desenvolvimento”.
O social-democrata, apostado em “combater 40 anos de socialismo na terra”, quer apresentar-se como uma “alternativa credível” e com “valor acrescentado para as pessoas”. “Eu não sei se tenho um atributo especial, mas sou uma pessoas comum, que sente as dificuldades do dia a dia. A minha maior vantagem é ser uma pessoa como quase todos os habitantes de Santo Tirso, que trabalha, tem família e paga os impostos. Além disso, conto com um conjunto de pessoas que têm ideias muito boas para o concelho”, acrescentou.
Sem desconsiderar o passado do PSD de Santo Tirso, Carlos Alves admite que a candidatura que assume é “o virar de página do mesmo livro”. “Vamos fazer as coisas de outra forma, logo veremos se teremos sucesso”, referiu, e sem querer antecipar quais são os projetos que sustentarão o manifesto eleitoral, admitiu que “há propostas que já vêm há alguns anos nos programas do PSD, uma vez que passam os anos e as necessidades mantêm-se”.
Quanto à coligação, Carlos Alves recorre à lógica matemática para a relevar e ainda abre a porta a mais interessados: “Quantos mais formos, mais possibilidades temos de ganhar. Tanto o PSD como o CDS-PP acreditam nas ideias e nos valores desta candidatura, pelo que não fazia sentido correrem em separado. E estamos abertos a que mais se juntem”.
Carlos Alves fez saber ainda que prevê ter as listas às assembleias de freguesia fechadas “no final de abril”.

Leia também...