PSD dá voz às militantes

O Dia Municipal para a Igualdade, 24 de outubro, foi o escolhido para o lançamento do Movimento das Mulheres Social Democratas de Vila Nova de Famalicão, na sede do partido.

Fomentar uma postura “mais ativa” do género feminino na cena política do concelho é o objetivo desta estrutura, cuja conceção partiu “do desejo que as mulheres social-democratas manifestaram de criar este grupo em Famalicão”, explicou Paulo Cunha, presidente da Comissão Política Concelhia (CPC) do PSD de Famalicão, durante a cerimónia de apresentação. Numa sala onde estiveram elementos femininos que integram a CPC do PSD, Juventude Social Democrata e Trabalhadores Social Democratas, do grupo parlamentar municipal eleito pelo partido e das eleitas pelas juntas e assembleias de freguesia, Paulo Cunha argumentou que “os partidos devem saber ler e interpretar as dinâmicas atuais e perceber de que forma podem contribuir para a construção de uma sociedade melhor”. “Queremos trazer para esta plataforma o contributo das mulheres, as suas perceções, necessidades, problemas e, particularmente, propostas de solução”, sublinhou o social-democrata.
Maria Manuel Martins, que vai coordenar o Movimento, atribui importância para a afirmação do género feminino na gestão do futuro do concelho. “Tenho a certeza de que a sociedade famalicense vai sair a ganhar se cada uma de nós for capaz de dar a sua opinião e estar presente para fazer sentir a diferença”, vaticinou.
Convidada na sessão, Andreia Neto, deputada e líder da CPC do PSD de Santo Tirso, incentivou as mulheres a “entender a importância desta nova plataforma cívica” e a “perceber que não precisam de ser militantes de um partido para poderem dar os seus contributos em prol da comunidade”.

 

 

Notícias relacionadas...

Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma experiência mais personalizada. Ao navegar está a permitir a sua utilização