PSD dá voz às militantes

O Dia Municipal para a Igualdade, 24 de outubro, foi o escolhido para o lançamento do Movimento das Mulheres Social Democratas de Vila Nova de Famalicão, na sede do partido.

Fomentar uma postura “mais ativa” do género feminino na cena política do concelho é o objetivo desta estrutura, cuja conceção partiu “do desejo que as mulheres social-democratas manifestaram de criar este grupo em Famalicão”, explicou Paulo Cunha, presidente da Comissão Política Concelhia (CPC) do PSD de Famalicão, durante a cerimónia de apresentação. Numa sala onde estiveram elementos femininos que integram a CPC do PSD, Juventude Social Democrata e Trabalhadores Social Democratas, do grupo parlamentar municipal eleito pelo partido e das eleitas pelas juntas e assembleias de freguesia, Paulo Cunha argumentou que “os partidos devem saber ler e interpretar as dinâmicas atuais e perceber de que forma podem contribuir para a construção de uma sociedade melhor”. “Queremos trazer para esta plataforma o contributo das mulheres, as suas perceções, necessidades, problemas e, particularmente, propostas de solução”, sublinhou o social-democrata.
Maria Manuel Martins, que vai coordenar o Movimento, atribui importância para a afirmação do género feminino na gestão do futuro do concelho. “Tenho a certeza de que a sociedade famalicense vai sair a ganhar se cada uma de nós for capaz de dar a sua opinião e estar presente para fazer sentir a diferença”, vaticinou.
Convidada na sessão, Andreia Neto, deputada e líder da CPC do PSD de Santo Tirso, incentivou as mulheres a “entender a importância desta nova plataforma cívica” e a “perceber que não precisam de ser militantes de um partido para poderem dar os seus contributos em prol da comunidade”.

 

 

Obrigado por ler esta notícia

Veja tambem