Programa Acompanhar mantém resposta a mais de 600 crianças e jovens

O Programa Acompanhar, programa de capacitação cidadã de grupos infantis e juvenis do pelouro da Educação do Município de Vila Nova de Famalicão, manteve a resposta de proximidade a mais de 600 crianças e jovens durante os três períodos de Estado de Emergência. Mais precisamente a 613.

Logo que foi decretado o encerramento das escolas, os grupos de capacitação e os programas de tutoria individualizada e grupal foram redimensionados e passados a ser geridos à distância através de teleconferência e telefone e em mais de 20 situações, manteve-se o trabalho presencial devido à inexistência de meios de comunicação à distância funcionais.

Com o regresso do 3.º período escolar, em articulação com os Agrupamento de Escolas e Escolas Profissionais, foi possível melhorar as respostas de capacitação à distância, fruto da disponibilização de mais equipamentos informáticos e soluções de concetividade online e mantiveram-se as respostas de proximidade, nomeadamente nos contextos de maior risco de exclusão como são os Complexos de Habitação Social e alguns aglomerados populacionais do concelho mais fustigados por bolsas de pobreza.

A resposta de proximidade traduziu-se no apoio ao estudo à distância, entrega de trabalhos de casa ao domicílio, contactos semanais para averiguar a situação social e escolar, acompanhamento da situação social das famílias e encaminhamento, quando necessário, paras as entidades competentes e trabalho cooperativo com os encarregados de educação no apoio escolar e pedagógico aos filhos e educandos.

Ao nível dos grupos de capacitação, neste momento, continuam a reunir semanalmente 613 crianças e jovens com base num programa de capacitação à distância centrado nas competências sociais, formas de gerir a agenda social em tempos de pandemia, novas formas de comunicar à distância e promoção das competências de inteligência emocional. Outra parte importante passa por fazer o ponto de situação da situação escolar, sendo que nas situações de maior emergência, a gestão do processo é feita em estreita ligação com o Professor Titular, Diretor de Turma ou Direção Pedagógica da Escola.

A equipa do Programa Acompanhar, em articulação com as instituições parceiras, viu o número de horas de intervenção aumentar, fruto do número de novas respostas individualizadas a que teve de fazer face. Segundo o vereador da Educação Leonel Rocha “foi possível, apesar das circunstâncias, manter a resposta pedagógica de proximidade e de capacitação para a grande parte dos jovens do Programa Acompanhar, promovendo assim uma maior igualdade de oportunidades no acesso à educação plena e integral numa fase de tantas incertezas.”

Notícias relacionadas...

Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma experiência mais personalizada. Ao navegar está a permitir a sua utilização