Select Page

Presidente da AEBA apela a ministro concretização de acessibilidades na região

Presidente da AEBA apela a ministro concretização de acessibilidades na região

Na festa comemorativa dos 16 anos da Associação Empresarial do Baixo Ave, José Manuel Fernandes aproveitou para deixar alguns apelos ao ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral. Na cerimónia também se falou dos desafios da Indústria 4.0 e dos Prémios COTEC Baixo Ave, que vão distinguir empresas e produtos inovadores.

“Sabemos que a solução para a variante à Estrada Nacional 14 está desenhada, falta implementá-la, mas o mais recente adiamento foi dececionante. Só esperamos que não apareça mais como prioritário uma nova saída ou entrada na A1, com investimento de milhões, para ninguém passar lá, porque foi resultado do lobby de alguém muito importante e não da razão”. A mensagem, em jeito de recado, foi deixada por José Manuel Fernandes, presidente da Associação Empresarial do Baixo Ave (AEBA), e teve como remetente Manuel Caldeira Cabral. O ministro da Economia esteve presente no jantar comemorativo da AEBA, realizado a 23 de setembro, na Quinta d’Alegria, em Ribeirão, Vila Nova de Famalicão, e ouviu as ambições dos empresários da região em termos de acessibilidades.
Até na “ótica empresarial” a construção da variante é bem vista por quem tem que atravessar todos os dias a sobrelotada EN14. Mas também o metro pode trazer dividendos à economia regional, defendeu José Manuel Fernandes. “Reduz custos, tem segurança e diminui as emissões de gases de carbono. Acabar de construir a linha do metro até à Trofa vai reduzir substancialmente a dependência de viatura própria para o acesso ao trabalho. Esta é, já por si, uma fortíssima razão de um investimento rentável para o Estado”, justificou.
Os apelos foram lançados, mas sobre eles o ministro não teceu qualquer comentário, preferindo adotar um discurso que privilegiou o anúncio das medidas governamentais de apoio às empresas, como o programa de fundos comunitários e o Capacitar, que disponibiliza novos instrumentos de financiamento.

“Janela de oportunidade” da Indústria 4.0 já está aberta
As cerca de 200 pessoas presentes no jantar ouviram ainda o governante falar dos desafios da Indústria 4.0. Manuel Caldeira Cabral considera que o “comboio” já está em andamento e que “quem se atrasar ficará de fora da revolução”, perdendo a oportunidade de “subir na cadeia de valor”. “A Indústria 4.0 já está a entrar de forma muito abrangente em todas as empresas fornecedoras de indústrias como os setores automóvel, das máquinas e dos instrumentos de precisão”, exemplificou.
“Resposta rápida, qualidade garantida e produtos diferenciados” são os trunfos desta nova era industrial, sublinhou o ministro, que fez questão de referir que, a este nível, o Governo “ouviu empresas, tanto as multinacionais, como as PME (Pequenas e Médias Empresas), as startup e tradicionais, para que todos aproveitem as oportunidades”.
Caldeira Cabral aconselhou ainda as empresas “a não terem a ilusão” de que conseguirão “ganhos de competitividade” com uma “política de baixos salários”.
Também José Manuel Fernandes considera que a Indústria 4.0, que prefere apelidar “quarta revolução”, assume-se como “um desafio a cada uma das áreas de atividade” e “gera oportunidades para criar novas empresas e novos projetos empresariais”.
Empresas do Baixo Ave vão ser premiadas pela inovação
Durante a cerimónia, foram anunciados os Prémios COTEC Baixo Ave, que a AEBA – em parceria com a COTEC Portugal – vai atribuir às empresas e produtos inovadores. Jorge Portugal, diretor-geral da COTEC Portugal, afirmou que as distinções que serão atribuídas anualmente de forma intercalada, visam “premiar os empresários que apostam na inovação e materializam-na em competitividade, exportações e valor” e também “servirão para estimular os outros pelo exemplo”.
Os anúncios, porém, não ficaram por aqui. O presidente da AEBA fez saber que, para breve, entrará em funcionamento uma incubadora empresarial no concelho da Trofa, que estará “de braços abertos a todo o tipo de projetos, de qualquer perfil e idade e formação de empreendedores”. “Após um período de teste, pode atingir outros espaços e parcerias devido a um modelo inovador que vamos implementar com práticas de co-working space”, explicou.
Antes do corte do bolo e da tradicional canção de parabéns, a gala teve um momento de homenagem às empresas associadas com ligação de 10 e 15 anos à AEBA e às empresas com estatuto de PME Excelência.

Videos

Loading...

Siga-nos

1ª pagina edição Papel

Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma experiência mais personalizada. Ao navegar está a permitir a sua utilização