Perfil Cromático reanimou o têxtil famalicense

Instalada nas antigas instalações da Mabera, a Perfil Cromático voltou a trazer vida ao têxtil do concelho de Vila Nova de Famalicão. No roteiro Famalicão Made In, o edil Paulo Cunha visitou a empresa e mostrou-se satisfeito com a contribuição da Perfil Cromático para o fortalecimento desta indústria.

A Mabera era uma das maiores fábricas têxtil do país a nível de acabamentos e tinturaria, mas em 2015, ao fim de quase 40 anos de sucesso, encerrou, arrastando cerca de uma centena de colaboradores para o desemprego. José Dâmaso Lobo e Afonso Leite acreditaram no potencial da empresa, situada em Mogege, Vila Nova de Famalicão, arrendaram o espaço e alugaram os equipamentos, criando a Perfil Cromático.
Os novos proprietários foram ao desemprego buscar parte dos antigos trabalhadores, que, segundo Nuno Oliveira, diretor-geral da Perfil Cromático, são os responsáveis pelo sucesso da empresa. Em apenas 18 meses de existência, a Perfil Cromático é já um êxito e em 2016, primeiro ano completo de atividade, faturou “sete milhões de euros”, superando assim as expectativas de todos. “Esta equipa, que já no passado foi capaz de ter grandes resultados com outra empresa, é a mesma equipa que hoje é capaz de os conseguir novamente. Tivemos que ter um clique, qualquer coisa que diferenciasse as empresas, porque se estivesse tudo igual o problema mantinha-se”, salientou Nuno Oliveira.
A Perfil Cromático trabalha para mercados diversificados, como a Burberry, HugoBoss e o grupo Inditex. Atualmente, com cerca de 140 colaboradores, a empresa tem, este ano, ambições maiores, pretendendo atingir os dez milhões de euros em faturação, que pode levar à contratação de 20 colaboradores. “Queremos mesmo continuar a crescer e a meter mais pessoas. É esse mesmo o nosso desejo. Vamos aproveitar para renovar algumas máquinas que já são obsoletas, estamos a fazer desenvolvimentos em áreas diferentes para podermos ser mais competitivos”, afirmou José Dâmaso Lobo.
Paulo Cunha, no âmbito do Famalicão Made In, visitou a Perfil Cromático, a 6 de fevereiro, e destacou que a empresa é um exemplo do fortalecimento da indústria têxtil. “Se é verdade que hoje o têxtil emprega menos em quantidade, é verdade que emprega mais em qualidade. É inegável que o têxtil já produz mais no concelho do que produzia há 20 anos. Produz mais e para mercados diferentes”, destacou o presidente da autarquia famalicense.
A Perfil Cromático tem ainda preocupações a nível ambiental, fazendo o reaproveitamento da água e da energia calórica no processo produtivo.

Obrigado por ler esta notícia

Veja tambem