Paulo Cunha destacou a importância vital das Comissões de Proteção de Crianças e Jovens na sociedade

O presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, e o diretor do Centro Distrital da Segurança Social de Braga, abriram esta sexta-feira o segundo dia de trabalhos do 2.º Congresso Intermunicipal sobre Proteção de Crianças e Jovens que está a decorrer desde ontem na Casa das Artes de Famalicão.
Subordinado ao tema “Sentir com inteligência. Pensar com emoção”, a iniciativa é promovida pelas Comissões de Proteção de Crianças e Jovens de Vila Nova de Famalicão, Esposende, Barcelos e Vila Verde.
Perante quase meio milhar de participantes, Paulo Cunha elogiou o evento mostrando-se satisfeito “com a grande afluência de pessoas, que demonstra o interesse e a pertinência do debate”. O autarca aproveitou ainda a oportunidade para elogiar o trabalho desenvolvido por “este setor tão importante socialmente”.
Também Rui Barreira deixou palavras de admiração pelos responsáveis e pelos técnicos das Comissões de Proteção de Crianças e Jovens do distrito de Braga.
Os trabalhos seguiram com a participação de Laborinho Lúcio, Juiz Conselheiro Jubilado do Supremo Tribunal de Justiça e Clara Sottomayor, Juíza do Tribunal Constitucional.
Ao todo, o evento conta com a presença de diversos especialistas, de modo a fomentar o aprofundamento de conhecimentos e a partilha e análise de práticas no âmbito da proteção da infância e da juventude, bem como promover o espírito de articulação e a concertação interinstitucional neste domínio. De entre as personalidades convidadas, destacou-se a presença dos Juízes Conselheiros Armando Leandro, Álvaro Laborinho Lúcio e Clara Sottomayor, assim como de representantes de entidades tão diversas como o Centro Hospitalar São João, o Hospital de Magalhães Lemos, o Alto Comissariado para as Migrações, a Polícia Judiciária, a Rede Ex Aequo, a Associação de Apoio a Pessoas com Disforia de Género, a Associação Movimento Educação Livre, a Associação Projecto Criar, a Escola da Ponte, e vários professores e investigadores das universidades do Minho, do Porto, de Aveiro, de Trás-os-Montes e Alto Douro, de Coimbra, Fernando Pessoa, do ISCTE, e da Universidade de Vigo. No evento, foi, ainda, apresentada uma mensagem da Representante Especial do Secretário-Geral sobre Violência contra as Crianças (ONU), Marta Santos Pais.
O congresso visou a participação de profissionais cujas funções contemplem a investigação e intervenção com crianças e jovens em risco ou perigo e suas famílias. Foi composto por diversas conferências e sessões temáticas orientadas para os domínios da justiça, da saúde, da educação e da transformação social, no âmbito dos quais foram discutidos assuntos tão diversificados como a centralidade da criança no sistema de promoção e proteção, delinquência juvenil e justiça terapêutica, intervenção policial e programas de intervenção vocacionados para criminalidade sexual, violência exercida sobre crianças, neurociências, intervenção nos problemas de saúde mental, consumos e dependências químicas, novas formas de organização familiar, diversidade e relações interculturais, sexualidades, ou novas práticas e estratégias de ensino para um desenvolvimento integral das crianças e jovens.

Obrigado por ler esta notícia

Veja tambem