Auto Soluções

O novo Selecionador Nacional foi apresentado esta segunda-feira, na Cidade do Futebol

Roberto Martínez foi apresentado esta segunda-feira, na Cidade do Futebol, como novo Selecionador Nacional de Portugal. O técnico espanhol de 49 anos chega à liderança da Equipa das Quinas depois de passagens pela Bélgica, Everton, Wigan Athletic e Swansea City.

Na cerimónia de apresentação do novo Selecionador Nacional, o Presidente da Federação Portuguesa de Futebol, Fernando Gomes, deu as boas-vindas ao novo treinador e destacou a competência do novo responsável técnico.

Em conferência de imprensa, Martínez mostrou-se muito motivado pelo desafio: “Estou muito feliz por estar aqui, estou encantado por poder representar uma das seleções mais talentosas do Mundo. Desde a primeira vez que conheci a direção e o presidente soube que era este o projeto que queria. Entendo que haja grandes expectativas e objetivos, mas também entendo que há um grande conjunto de pessoas a trabalhar para cumprir os nossos objetivos”, começou por dizer,

“O importante é sermos uma Seleção muito competitiva. Quando penso no meu percurso internacional, em seis anos e meio tivemos invictos em 28 jogos para grandes torneios. É uma forma de tornar uma competitividade dentro da equipa. Portugal tem de ter sempre vontade de ganhar tudo e para isso é preciso ser uma equipa moderna, com flexibilidade tática. Jogar com uma linha de três ou quatro defesas depende dos jogadores, e será meu trabalho e da equipa técnica tirar o máximo de cada jogador. A flexibilidade tática é muito importante. Se vamos jogar em transições, temos de estar bem estruturados sem bola e dar aso ao talento que temos com bola. Temos de controlar jogos. Essa flexibilidade tática dependerá dos jogadores”, acrescentou.

A fechar, o novo Selecionador Nacional esclareceu que a equipa técnica ficará fechada nos próximos dias: “A estrutura da equipa técnica está clara. Depois de sete anos no futebol mundial sei exatamente o que é preciso, vamos finalizar isso nos próximos dias. Mas gostaria de ter um assistente português, que tenha sido jogador da Seleção e tenha carreira internacional. Acredito que seria muito importante para acelerar o nosso entendimento pelo futebol português”, referiu.

Fonte e Foto FPF

Leia também...