https://www.facebook.com/associacaocomercialindustrialsantotirso/

https://muroplaco.pt/pt

O futuro do agroalimentar começou hoje a ser construído em Famalicão

É no recém-criado Centro de Competências do Agroalimentar, instalado em
Vila Nova de Famalicão, que o setor nacional das carnes vai encontrar as
respostas para os desafios do futuro.

O novo centro tecnológico – o único no país focado na investigação,
desenvolvimento e promoção da indústria das carnes – foi apresentado esta
quinta-feira, 10 de setembro, e conta receber os primeiros investigadores já
a partir do próximo mês de outubro.

Instalado no CIIES – Centro de Investigação, Inovação e Ensino Superior de
Vila Nova de Famalicão, nas antigas instalações da Didáxis de Vale São
Cosme, o TECMEAT surge para “transformar conhecimento em valor”, conforme
explica o seu presidente, Amândio Santos.

“O que está aqui a nascer em Vila Nova de Famalicão é algo que é muito
importante para o setor das carnes. Surge como uma resposta às necessidades
desta indústria que, trabalhando em rede, vai poder tirar partido da
transversalidade de conhecimento que este Centro Competências vai permitir”,
acrescenta. 

O presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão fala numa
“ferramenta decisiva para a projeção futura do setor”. Paulo Cunha teve hoje
a oportunidade de conhecer os espaços e recursos associados a este centro
tecnológico impulsionado pela autarquia famalicense, nomeadamente o já
equipado laboratório de microbiologia e o local onde ficará instalada uma
unidade piloto para simulação industrial que deverá estar concluída ainda no
final deste ano.

O autarca enalteceu a cooperação existente entre as várias entidades
associadas ao Centro de Competências do Agroalimentar, que considerou
essencial para que o projeto atingisse o seu ponto de maturidade.

“Dentro de pouco tempo vamos ver este espaço a trabalhar, com
investigadores, formação, experimentação e desenvolvimento para que as
nossas empresas possam produzir e exportar mais e para que os nossos
trabalhadores possam adquirir mais competências e ser melhor remunerados”,
acrescentou.

Refira-se que a criação do Centro de Competências do Agroalimentar implicou
um investimento de cerca de um milhão de euros, contando com uma
comparticipação FEDER de 812 mil euros.

O setor do agroalimentar é, de resto, identificado como prioritário na
agenda do plano estratégico concelhio. É no concelho famalicense que estão
sediadas inúmeras empresas altamente competitivas e tecnologicamente
avançadas que fazem já de Famalicão um dos mais relevantes municípios neste
setor.

O Tecmeat tem como entidades sócio fundadoras a AMECAP – Associação de
Matadouros e Empresas de Carnes de Portugal, a Associação Integralar –
Intervenção de Excelência no Sector Agroalimentar; a CESPU – Cooperativa de
Ensino Superior Politécnico e Universitário, o CENTITVC – Centro de
Nanotecnologia e Materiais Técnicos Funcionais e Inteligentes, o CITEVE –
Centro Tecnológico das Industrias Têxteis e de Vestuário de Portugal, a
CONFAGRI – Confederação Nacional de Cooperativas Agrícolas e de Crédito
Agrícola; a FPAS – Federação Portuguesa de Associações de Suinicultores, a
Universidade Lusíada; o IPVC – Instituto Politécnico de Viana do Castelo; a
Universidade Católica Portuguesa, a Universidade do Minho e a UTAD –
Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro.

Leia também...