https://autosolucoes.pt/

Mercadona instala pontos de carregamento auto elétrico


A Mercadona, em parceria com a Iberdrola, instalou 40 pontos de carregamento elétrico pelas 20 lojas situadas em Portugal. Com uma potência de 22 kW, estes pontos de carregamento, aos quais se vão juntar outros nas novas lojas que abrirão este ano, fazem parte da rede de mobilidade elétrica MOBI.E.

“Para aceder a este serviço de mobilidade – um passo importante na estratégia de desenvolvimento para a transição energética das duas empresas – os clientes têm apenas de possuir um cartão de um comercializador de eletricidade para mobilidade elétrica (CEME). Desta forma, e a uma tarifa de operação (OPC) competitiva de 0,02 €/min, os consumidores podem carregar o seu veículo elétrico enquanto fazem as suas compras”, explicou fonte do retalhista.

Considerando que esta é uma medida que, além de firmar o “compromisso” da Mercadona e da Iberdrola “com a mobilidade elétrica”, o retalhista sublinha ainda o contributo para responder às “necessidades do consumidor, ajudando famílias e empresas no processo de transição energética”.

Para Marta Cortizas, diretora regional de obras e expansão da Mercadona Portugal, “esta aposta permite não só reduzir o impacto ambiental em matéria de sustentabilidade como também oferecer aos ‘chefes’ (clientes) um serviço mais eficaz e cómodo, enquanto fazem as suas compras”. “No âmbito do seu compromisso de dizer sim a continuar a cuidar do planeta, a empresa procura alternativas sustentáveis e que se adequem às necessidades reais do dia a dia. Ao integrar a rede MOBI.E, os supermercados Mercadona promovem a mobilidade elétrica encorajando os ‘chefes’ a adotarem estilos de vida mais verdes”, acrescentou.

Já para Pedro Torres, director de Smart Mobility na Iberdrola Portugal, esta parceria permite ir ao encontro das necessidades dos clientes. “A Iberdrola defende que o caminho para desenvolver produtos e serviços passa por conhecer melhor os clientes, percebendo as suas necessidades e convertendo-as em soluções. Se queremos mudar o mercado energético, tornando-o mais verde, temos de ajudar os consumidores, pois serão eles os nossos principais parceiros nesta transformação”, defendeu.

Leia também...