Há Jazz à solta em Famalicão

Ciclo de concertos “Jazz na Caixa” decorre de 5 a 14 de abril. Mário Laginha e Abe Rábade entre os músicos convidados.

Assistir a um concerto de jazz, num ambiente intimista e descontraído, com o público a partilhar o palco com os músicos, a ouvir um bom som e a saborear um champanhe.

Esta é a proposta do Jazz na Caixa, um ciclo de concertos que de 5 a 14 de abril traz até Joane, em Vila Nova de Famalicão, nomes que dispensam apresentações, como Mário Laginha e Abe Rábade, um dos mais importantes pianistas espanhóis da atualidade.

A apresentação do evento decorreu esta quarta-feira, dia 20 de março, numa conferência de imprensa inserida no Roteiro pela Inovação de Vila Nova de Famalicão.   

A iniciativa, que vai já para a sua terceira edição, é um dos muitos eventos promovidos anualmente pela Associação Luso-Galaica para a Promoção do Jazz – Eixo do Jazz, que se instalou no concelho famalicense em 2017 com o objetivo de desmistificar a ideia generalizada de que o Jazz é para elites.

Até agora, explica Cristina Marvão, o objetivo da associação parece estar a ser cumprido. “O público é difícil de se conquistar, mas o Jazz, como qualquer outra música e como qualquer outra arte, tem de ser mostrado às pessoas passo a passo. Não é obrigatório que toda a gente goste de todo o tipo de jazz, mas com os eventos que temos vindo a promover aqui em Famalicão estamos a conquistar público e a aproximar as pessoas do Jazz”, disse.

A vinda de mais uma associação para Famalicão é naturalmente motivo de satisfação e de orgulho para o Presidente da Câmara Municipal e “um sinal claro” de que o concelho está com políticas públicas atrativas. “Já mostramos que somos um concelho recetivo a novas áreas e que sabemos abraçar novas propostas. Quando tantas apostas do ponto de vista cultural estão a ser feitas no nosso concelho é sinal de que os seus autores sabem que aqui têm todas as condições necessárias para que os seus projetos possam ser bem-sucedidos”, disse Paulo Cunha.

O edil elogiou ainda “o trabalho multifacetado” da Associação Teatro Construção (ATC), parceira do Eixo do Jazz na organização do Jazz na Caixa. “O ATC é um exemplo daquilo que uma associação pode ser, para além daquilo que já é. As associações podem também estar disponíveis para que outros projetos possam ser bem-sucedidos”, referiu.

Quanto à programação do Eixo do Jazz, o primeiro fim-de-semana, de 5 a 7 de abril, será preenchido por três concertos de piano a solo, em que o público partilha o palco com três dos melhores pianistas da atualidade. São eles: Abe Rábade, no dia 5, Mário Laginha, no dia 6, e João Paulo Esteves da Silva, no dia 7.

Ao longo da semana estão programados dois workshops. Um de introdução ao Jazz para jovens estudantes de música, dos 8 aos 14 anos, e um segundo, intitulado “Jazz com Arco”, que convida jovens músicos de conservatório a experienciarem a improvisação do Jazz moderno. O resultado deste último workshop será interpretado ao vivo no dia 13 de abril, sábado, com a presença de dois músicos convidados – Hugo Correia (contrabaixo e violoncelo) e Manuel Maio (violino).

O Jazz na Caixa termina no domingo, dia 14. O último concerto da iniciativa estará a cargo de um dos guitarristas portugueses mais virtuosos da atualidade – Bruno Santos (da dupla Mano a Mano), que em Famalicão irá partilhar o palco com Rita Redshoes.

Os concertos vão decorrer no auditório da Associação Teatro Construção (ATC), em Joane.

Os bilhetes têm o custo de 8 euros para o público geral; de 6 euros para os associados do Eixo do Jazz e ATC e de 4 euros para os portadores do Cartão Jovem. Para menores de 14 anos a entrada é gratuita.

PROGRAMA | JAZZ NA CAIXA

Jazz ao Piano – Concertos a solo

Abé Rábade (5 de abril, 22h00)

Mário Laginha (6 de abril, 22h00)

João Paulo Esteves da Silva (7 de abril, 17h30)

Jazz & Cordas

Bruno Maio e Hugo Correia (13 de abril, 22h00)

Bruno Santa convida Rita Redshoes (14 de abril, 17h30)

Notícias relacionadas...

Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma experiência mais personalizada. Ao navegar está a permitir a sua utilização