https://autosolucoes.pt/viaturas/

Governo admite desconfinar antes da Páscoa

O ministro da Economia, Pedro Siza Vieira, revelou que algumas áreas podem desconfinar antes da Páscoa, mas o Governo ainda não sabe quais são, devido a querer decidir de forma segura e informada ao se basear nas auscultações que tem sido feitos.

O ministro, adiantou na conferência de imprensa realizada, após a reunião extraordinária de concertação social que “os especialistas disseram que há condições para se fazer alguma coisa antes da Páscoa. O quê e a que ritmo, é que é uma decisão que ainda não foi tomada”.

O ministro Adjunto e da Economia afirmou que o processo de desconfinamento será feito de forma “gradual e progressiva” de acordo com a evolução da pandemia da covid-19.

O Governo para elaborar este plano, terá em conta as recomendações epidemiológicas, económicas e sociais.

Na reunião de hoje, da Comissão Permanente de Concertação Social foi discutida e ouvida a posição dos parceiros sociais sobre o desconfinamento que vai ser anunciado pelo Governo nesta quinta-feira. Também na reunião, discutiram-se medida de apoio à economia e Pedro Siza Vieira, salientou que vai existir um reforço ao alargar os apoios que estão atualmente em vigor, para trabalhadores e empresas.

Por outro lado, o PAN, através do seu porta-voz, André Silva, após a reunião com o Presidente da República, revelou que pretender ter um desconfinamento “muito claro”, num trimestre, ao incluir atividades como os cabeleireiros e a cultura.

André Silva que a preocupação do PAN passa por um “plano muito claro, que não seja extremamente logo, algo da ordem de um trimestre, que seja absolutamente claro para ser compreendido por todas as pessoas e assente em níveis e critérios sanitários, muito mais do que em tipologias de atividades económicas´”.

Mariana Silva, deputada do PEV, defendeu hoje na reunião, que o desconfinamento deve ser realizado “de forma planeada, organizada e bem comunicada” ao ter medidas reajustáveis e deixou também um alerta acerca do “pico” das consequências económicas e sociais que não são ainda conhecidas.

Em contraste, André Ventura, presidente do Chega, reforça a ideia do plano de desconfinamento ser ainda “muito limitado” ao ter fases a mais,

“Será uma espécie de um desconfinamento ainda muito limitado face àquilo que alguns partidos quereriam e que alguns especialistas admitiriam. Ao Presidente demos conta da nossa crítica a este plano, que também fizemos ver ao Governo, cara-a-cara” como revela nas declarações proferidas no Parlamento.

Leia também...