FINIECO vai crescer (c/video)

Produz “diariamente mais de 1,5 milhões de embalagens” e exporta “cerca de 80 por cento de tudo o que produz”. A empresa FINIECO, localizada na Rua do Barracão, em Santa Cristina do Couto, foi alvo de uma visita do executivo da Câmara municipal de Santo Tirso, a 29 de março.

Com “cerca de 135 funcionários”, a empresa, que aposta no fabrico de sacos de papel há 18 anos, atingiu, o ano passado, “um volume de negócios na ordem dos 22 milhões”, contou Paulino Ribeiro, administrador e fundador da empresa FINIECO. No próximo ano, Paulino Ribeiro prevê “um grande volume de investimento”, no âmbito do Portugal 2020, na ordem dos “cerca de cinco milhões de euros” para “ampliar as instalações e aquisição de nova maquinaria”. O administrador afirmou que as taxas de crescimento da empresa têm sido “muito interessantes”, sendo que “muito desse crescimento” surge na exportação para os “mercados inglês, francês e alemão e para o norte da Europa, como Holanda, Bélgica e Luxemburgo”. “Neste momento, a FINIECO exporta cerca de 80 por cento de tudo o que produz. Trabalhamos para os mais variados setores de atividade, como moda, farmacêutico, livrarias, entre outros. É um produto bastante versátil”, declarou, acrescentando que a em presa é “o maior produtor ibérico deste produto”, sendo que “o mercado espanhol representa cerca de 30 por cento do volume de exportações”. O segredo do negócio, contou Paulino Ribeiro, passa por “não ter medo de inovar e não ter medo da complexidade”. “O facto de estarmos expostos a clientes com bastante exigência faz com que nós sejamos cada vez mais fortes, porque nos preparamos para os níveis de exigência que os nossos clientes nos transmitem e isso torna-nos também mais competitivos”, justificou. O administrador referiu ainda que a empresa preocupa-se com a oferta de múltiplas soluções de embalagem com mínimo impacto ambiental. Quando “internalizou o processo de impressão”, Paulino Ribeiro procurou “sempre fazê-lo com tecnologias bastante inovadoras, utilizando tintas de base de água e isentas de dissolventes”. Além disso, a empresa adquire papéis “certificados”, sendo “a única do país com certificação de carbono 0, que é um sistema de monitorização das emissões de carbono”. “É uma empresa certificada ambientalmente. Esta preocupação ambiental traduz-se muito na nossa decisão de apostarmos em substituir a embalagem de plástico por embalagem de papel, o que também tem ditado muito o sucesso projeto”, mencionou. A visita do executivo à FINIECO surge no âmbito do Santo Tirso Invest. O presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, Joaquim Couto, asseverou que estas visitas surgem no sentido de “aproximar o poder municipal das empresas, inventariar problemas, conhecer os empresários e criar um clima de proximidade e bom relacionamento entre o município e as empresas”. O edil tirsense referiu que há “um conjunto de iniciativas que é necessário desenvolver”, tendo “uma candidatura já formalizada no Portugal 2020, para renovar e requalificar toda esta área industrial”.

 

Notícias relacionadas...

Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma experiência mais personalizada. Ao navegar está a permitir a sua utilização