Auto Soluções- Campanha verão 2022

Famalicão venceu na Madeira

O Famalicão bateu hoje o Marítimo, por 1-0, em jogo da 23.ª jornada da I Liga de futebol, na qual os insulares falharam uma grande penalidade e jogado em desvantagem numérica.

O Marítimo que vinha com os olhos postos no sexto lugar e acabou a ser derrotado pelo Famalicão, que somou, no Funchal, a segunda vitória consecutiva, a primeira fora de portas na era de Rui Pedro Silva, graças a um golo de Banza, aos sete minutos.

Com este resultado, a turma madeirense continua a ocupar a oitava posição, com 28 pontos, enquanto o conjunto nortenho subiu três degraus na classificação, encontrando-se em 12.º, com 23, quatro pontos acima da zona de despromoção.

Os dois conjuntos vinham de vitórias folgadas, com o Marítimo a efetuar três alterações na equipa que derrotou o Arouca, por 3-0, regressando Zainadine após cumprir suspensão, enquanto Fábio China e Vidigal foram a escolha do técnico Vasco Seabra para render os castigados Victor Costa e Henrique.

Os famalicenses também realizaram alterações, em relação à vitória frente ao Moreirense (5-0), com o regresso de Pickel ao meio-campo, para saída de Gustavo Assunção, tendo o suspenso Alex Nascimento dado lugar a Batubinsika na defesa dos visitantes.

A equipa liderada por Rui Pedro Silva entrou melhor e adiantou-se cedo no marcador por intermédio de Banza, na recarga a um primeiro remate de Batubinsika.

O lance foi muito contestado pelos madeirenses, por alegada fora de jogo. Depois de quase cinco minutos de avaliação pelo videoárbitro, o golo acabou por ser validado por dois centímetros.

Debaixo de chuva intensa, o Famalicão seguiu com a batuta da partida, desenhando inúmeras situações que poderiam resultar numa vantagem mais confortável, mas o guarda-redes Paulo Victor foi evitando nova ‘mexida’ no marcador.

O primeiro lance ofensivo digno de registo do Marítimo na primeira parte aconteceu já depois da meia hora, com Cláudio Winck a apostar num lance individual, mas a atirar ao lado.

Para a formação da casa o jogo decorria como o tempo que se fazia sentir, ‘cinzento’, e, nem a grande penalidade, aos 44 minutos, por falta do guarda-redes do Famalicão sobre Guitane, animou, pois Luiz Júnior redimiu-se e defendeu o remate de Joel.

Ainda antes do intervalo, a situação complicou-se para o Marítimo, com Winck a ver o segundo amarelo, perto do final da primeira parte, por protestos.

Na etapa complementar, o jogo diminuiu de intensidade, com o Famalicão a fazer uso da superioridade numérica pressionando os donos da casa, mas sem grande assertividade no último terço, enquanto o conjunto liderado por Vasco Seabra tentou, sem sucesso, remar contra a maré, mas desde o primeiro minuto foi controlado pelo visitante.

Leia também...