Select Page

Famalicão vai construir Centro de Atletismo e BTT (C/vídeo)

Este é o próximo grande investimento do município no Desporto, tendo em vista colmatar uma lacuna existente e reconhecida no concelho. Na apresenta- ção do projeto, Paulo Cunha, presidente do município, justificou a prioridade da obra pela dimensão da modalidade. “As associações que praticam as diferentes disciplinas no atletismo têm dado mostras de uma enorme capacidade de, em condições adversas, terem mantido a prática e com resultados muito bons. É indiscutível que, em Famalicão, esta intervenção é necessária e não para o que há de vir, mas para o que hoje já existe”, postulou. Segundo o autarca, o projeto contou com “contributos das muitas associações que praticam a modalidade no concelho”. A obra, que segundo o autarca está orçada “em pouco mais de 1,5 milhões de euros”, será dividida em duas fases. A primeira contemplará “a construção da pista de atletismo de 400 metros e a criação de condições para a prática de todas as disciplinas do atletismo e balneários provisórios”. Já a segunda fase, continuou, será dedicada “à constru- ção do edifício com bancada coberta e um conjunto de valências para o atletismo e BTT”. Pela proximidade, a autarquia pretende complementar a execução da segunda fase do projeto com o da ecopista que ligará Famalicão à Póvoa de Varzim, através da antiga linha de comboio. A infraestrutura desportiva é composta por pista de atletismo de 400 metros e edifícios de apoio aos atletas e público, onde foram respeitadas as exigências técnicas do Instituto Nacional do Desporto, estando preparada para competições nacionais e internacionais. A Pista é constituída por oito corredores em piso sintético, um campo interior em prado e uma área adjacente para lançamento de martelo, disco e pesos. As bancadas têm capacidade para cerca de 480 espectadores. Já o edifício de apoio ao centro de BTT será constituído por um piso e está contemplado com uma área de manutenção de bicicletas e ainda uma pista de Pump Track que servirá de apoio à formação e iniciação à modalidade. Assim como outras coletividades, o Clube Cultura e Desporto de Ribeirão (CCDR) treina em condições adaptadas, no piso de alcatrão da Escola Básica 2/3 de Ribeirão. Por isso, a apresenta- ção deste projeto mereceu o regozijo dos responsáveis da associação. “Lutamos tanto por melhores condições, fomos pedindo ano após ano e nunca deixamos de trabalhar e de acreditar, levando o nome de Famalicão aos pontos mais altos do pódio em todas as partes do país. É mais um momento de glória para o atletismo”, sublinhou Alexandra Sarmento, responsável técnica do atletismo do CCDR. Paulo Cunha considera que com o Centro de Atletismo e de BTT, Vila Nova de Famalicão assumir-se-á como “um dos concelhos do país com as melhores infraestruturas desportivas”.

O que dizem as associações?

Associação Recreativa e Cultural de Vale São Cosme “A nossa associação sempre reivindicou uma pista de atletismo em Vila Nova de Famalicão. (…) O que nos deparamos nos últimos anos foi com a necessidade de os atletas terem de se deslocar aos concelhos vizinhos para treinar nas melhores condições ou caso não tivessem possibilidades para tal abandonavam a modalidade. Por estes motivos, felicitamos este projeto que, tendo em conta as condições apresentadas, vai possibilitar a prática do atletismo em todas as suas vertentes, proporcionando o desenvolvimento do concelho com mais atletas federados da Associação de Atletismo de Braga. É objetivo da nossa associa- ção a criação de um projeto de formação de jovens atletas, algo que não nos era possível até este momento”. Escola de Atletismo Rosa Oliveira “O projeto é muito enriquecedor e uma mais-valia para todos os atletas deste concelho e não só. É gratificante ver o desporto a ter cada vez mais e melhores condi- ções, quer de lazer quer de competição para que, posteriormente, se possam fazer ainda mais campeões na modalidade. Porém, para a Escola Atletismo Rosa Oliveira o centro de atletismo não é a melhor solução. É de todo impossível transportar todos os dias e todos os atletas para Vila Nova de Famalicão para realizar o treino. Todos os dias, temos os nossos atletas a treinar na estrada, passando inclusive pela Nacional Guimarães-Famalicão sendo esta caracterizada pelo movimento abundante. Já pedimos um circuito de 1000m/1500m em terra batida como solução de fugir ao trânsito. É importante o projeto que a Câ- mara leva para a frente, mas para nós as escassas condições continuam. Faz-nos falta um circuito em Joane para treinarmos sem perigo e para toda a população”.

Videos

Loading...

Siga-nos

1ª pagina edição Papel

Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma experiência mais personalizada. Ao navegar está a permitir a sua utilização