Connect with us

Auto Soluções

Desporto

Famalicão isola-se provisoriamente na liderança após nulo com Benfica B

Published

on

Famalicão isolou-se provisoriamente na liderança II Liga ao empatar em casa 0-0 com o Benfica B, em jogo da 13.ª jornada.

O Famalicão isolou-se provisoriamente na liderança II Liga ao empatar em casa 0-0 com o Benfica B, em jogo da 13.ª jornada, mas pode ser alcançado pelo Paços de Ferreira, que tem menos dois jogos. Com quatro vitórias somadas nas últimas cinco partidas, a equipa local chegou a este jogo com a aspiração de recuperar o primeiro lugar e, aos 10 minutos, quando Fabrício surgiu na cara de Zlobin a desviar para fora um cruzamento de David Luís, ficou a sensação de que iria mandar no jogo. Mas não foi o que aconteceu, na resposta, Defendi, por duas vezes, teve de se aplicar para evitar o golo dos ‘encarnados’, a remates de Nuno Santos e de Keaton.

O guarda-redes famalicense acabou por ser a figura da partida até ao intervalo, voltando a estar em foco aos 25 minutos, novamente com Nuno Santos pela frente, num lance que começou com fora de jogo de Jota.

Com o Famalicão permeável sempre que o Benfica optava pelo futebol direto, Defendi voltou a mostrar-se intransponível aos 35 minutos quando Jota lhe surgiu solto na grande área a rematar, assegurando o nulo ao intervalo.

A segunda parte mostrou mais do Famalicão que teve em David Luís (65) o primeiro remate com perigo, antes de Filipe Oliveira (77) obrigar Zlobin a uma grande defesa entre os postes.

O Benfica ressurgiu nos minutos finais e Willock (86) e Jota (88) puseram à prova Defendi, o melhor jogador em campo, acabando o nulo por prevalecer até final.

O Famalicão regressou provisoriamente ao primeiro lugar, com 30 pontos em 14 jogos, mais um do que o Estoril Praia, com 29 em 14, e mais três do que o Paços de Ferreira, que tem menos três pontos em 12.A formação encarnada segue no quarto posto, com 27 em 13.

Advertisement

Jogo no Estádio Municipal de Famalicão, em Vila Nova de Famalicão.

Famalicão – Benfica B, 0-0.

Equipas:

– Famalicão: Defendi, Joel, Ângelo, Ricardo, David Luís, Pathé Ciss, Hocko, Willian (Alhassane Sylla, 75), Fabinho (Filipe Oliveira, 68), Walterson (Anderson, 84) e Fabrício.

(Suplentes: Ricardo Fernandes, Capela, Jorge Miguel, Filipe Oliveira, Eduardo, Anderson e Alhassane Sylla).

Treinador: Sérgio Vieira.

– Benfica B: Zlobin, Alex Pinto (Nuno Tavares, 46), Kalaica, Ferro, Pedro Amaral, Florentino Luís, Keaton, Nuno Santos (Tiago Dantas, 76), Willock, Jota e Saponjic (Zé Gomes, 68).

Advertisement

(Suplentes: Daniel Azevedo, Guga, Zé Gomes, Nuno Tavares, Tiago Dantas, Gonçalo Ramos e Zec).

Treinador: Bruno Nascimento.

Árbitro: Pedro Ramalho (AF Évora).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Florentino Luís (44), David Luís (52), Nuno Tavares (66), Ricardo (67), Joel (69) e Jota (74).

Assistência: cerca de 4.000 espetadores.

Continue Reading

Desporto

SANTO TIRSO ULTRA TRILHOS COM MAIS DE 1100 INSCRITOS

O STUT reúne três provas com caráter competitivo. A de Ultra Trilhos, em que os atletas terão de correr uma distância de 50 quilómetros, a de Trail Longo (30km) e a de Trail Curto (18km)

Published

on

O STUT – Santo Tirso Ultra Trilhos (STUT), uma das principais provas de corrida de montanha em Portugal, regressa no dia 19 de fevereiro, contando já com mais de 1100 inscritos. Organizado em parceria pela Câmara Municipal e pelo NAST – Núcleo Associativo de Santo Tirso, o STUT vai ter em competição alguns dos melhores atletas nacionais da modalidade.

O STUT reúne três provas com caráter competitivo. A de Ultra Trilhos, em que os atletas terão de correr uma distância de 50 quilómetros, a de Trail Longo (30km) e a de Trail Curto (18km). Além destas três corridas, o STUT inclui, também, a habitual uma Caminhada de 10 quilómetros, com um percurso de dificuldade moderada e caráter não competitivo.

A prova vai percorrer vários locais emblemáticos do concelho de Santo Tirso, com passagem por diversos parques e quintas, locais com história, estruturas do período pré-industrial, locais modernos e centros urbanos onde se destacam as esculturas ao ar livre que integram a coleção permanente do Museu Internacional de Escultura Contemporânea.

Na opinião do presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, Alberto Costa, “o STUT é um evento desportivo emblemático, não só por ser uma das principais corridas de montanha em Portugal, com projeção internacional, mas também porque tira o melhor partido do extraordinário património florestal e paisagístico deste território”.

O autarca destaca, ainda, a tradicional Caminhada, “que constitui um momento ímpar ao juntar famílias em convívio, partilha e usufruto da Natureza, razão pela qual a realização do STUT continua a ser uma aposta do Município de Santo Tirso, no âmbito da política de promoção da atividade física, da competição desportiva e da valorização ambiental”.

Todas as provas do STUT terão a partida na Praça 25 de Abril, à exceção do Trail Curto, cujos atletas sairão do Parque de Lazer de Nossa Senhora de Valinhas. A meta para todas as categorias estará instalada, como habitualmente, na Praça 25 de Abril, junto ao edifício da Câmara Municipal de Santo Tirso.

As inscrições no STUT 2023 decorrem até ao próximo domingo, 12 de fevereiro, através do site www.nast.pt/stut.

Advertisement
Continue Reading

Desporto

Clássica de Santo Thyrso em ciclismo na estrada a 5 de março

A Clássica de Santo Thyrso arranca em Vila das Aves termina junto à Câmara Municipal, onde o pelotão fará um total de três passagens até à derradeira aceleração para a meta final.

Published

on

Os presidentes da Câmara Municipal de Santo Tirso, Alberto Costa, e da Federação Portuguesa de Ciclismo, Delmino Pereira, apresentaram hoje a primeira edição da Clássica de Santo Thyrso. A nova prova, inscrita no calendário nacional do escalão profissional, sai para a estrada no próximo dia 5 de março e será disputada, inteiramente, em estradas do concelho.

Com partida na Vila das Aves e chegada no centro da cidade de Santo Tirso, num itinerário de 144,4 quilómetros, o traçado da Clássica de Santo Thyrso compreende passagens por São Tomé de Negrelos, S. Martinho do Campo, Areias, São Miguel do Couto, Água Longa, Agrela, Reguenga, Lamelas, Refojos e S. Tiago da Carreira.

Organizada no âmbito de uma parceria entre a Câmara Municipal, a Federação Portuguesa de Ciclismo e a Associação de Ciclismo do Porto, a Clássica de Santo Thyrso constitui, para o presidente da autarquia, Alberto Costa, “uma oportunidade única para a promoção do ciclismo no território, que irá prestar mais um grande contributo para a aposta do Município na promoção da mobilidade suave e da bicicleta enquanto meio de transporte e de prática desportiva amiga”.

Além disso, sublinhou, “tratando-se de uma prova inscrita no calendário nacional do principal escalão, garante que as melhores equipas profissionais estarão presentes, o que irá reforçar ainda mais a notoriedade deste grande evento desportivo”.

A prova servirá, também, para homenagear José Pacheco, falecido em 2005 e reconhecido como o mais notável ciclista natural de Santo Tirso, tendo vencido a Volta a Portugal de 1962 com a camisola do FC Porto.

Após a exibição de um vídeo com imagens raras desta vitória, o presidente da Federação Portuguesa de Ciclismo confessou a sua emoção. “O José Pacheco viveu numa época absolutamente mágica do ciclismo, com uma ligação muito forte às pessoas”, disse, acrescentando que “não há nenhuma outra modalidade capaz de estar em todo o lado, tanto nas aldeias como nas cidades”.

Delmino Pereira sublinhou que “José Pacheco foi um dos únicos sprinters a ganhar uma Volta a Portugal, o que só é possível com um enorme espírito de sacrifício e uma grande equipa a ajudá-lo”.

Advertisement

“Um ciclista representa sempre a marca da sua terra e, por isso, esta homenagem de Santo Tirso ao José Pacheco é um ato maravilhoso”, acrescentou.

A Clássica de Santo Thyrso arranca em Vila das Aves termina junto à Câmara Municipal, onde o pelotão fará um total de três passagens até à derradeira aceleração para a meta final.

A partida simbólica está agendada para as 12h00 do dia 5 de março, na Avenida 4 de Abril de 1955, em Vila das Aves, ao passo que a partida real irá acontecer na Avenida 27 de Maio, às 12h10. Os ciclistas terão uma Meta Volante em Agrela, seguindo-se uma contagem para o Prémio Montanha em Refojos.

A segunda Meta Volante estará instalada em Santo Tirso, na Rua Dr. José Cardoso de Miranda, junto ao edifício da Câmara Municipal. Os ciclistas voltarão, depois, a passar mais duas vezes na Meta Volante em Agrela, na contagem para o Prémio Montanha em Refojos e na meta volante em Santo Tirso, antes de cortarem a meta final.

Continue Reading

Pode ler também...