Famalicão ganha 15 quilómetros de rede ciclável e pedonal até 2021

O paradigma da mobilidade em Vila Nova de Famalicão está a mudar e dentro
de um ano a relação dos famalicenses com a cidade vai ser diferente. Para
além das obras que estão a decorrer de recuperação dos cerca de 11
quilómetros da via ciclo-pedonal que liga Famalicão à Povoa de Varzim, a
autarquia liderada por Paulo Cunha deu esta semana mais um passo para a
concretização desta mudança ao arrancar também com a construção dos
primeiros quatro quilómetros da rede de ciclovias urbanas, num investimento
de mais de dois milhões de euros.

A intervenção que hoje foi apresentada à comunicação social divide-se em
dois lotes, ambos com um prazo de execução de 365 dias.

A obra referente ao primeiro lote vai arrancar no final de agosto e prevê a
implementação de uma via ciclável e pedonal que irá ligar a Estação de
Caminhos de Ferro, desde a Avenida 25 de Abril, às escolas e aos parques de
Sinçães e da Devesa, interligando os principais pontos de entrada na cidade.

Este primeiro lote foi adjudicado à empresa José Moreira Fernandes &
Filhos, por um valor superior a um milhão de euros, e compreende três eixos:
entre o Parque 1.º de Maio, a Avenida do Brasil e o Parque de Sinçães; entre
a Avenida 25 de Abril, o Parque 1.º de Maio e a Rua Padre Benjamim Salgado,
e da Avenida do Brasil até ao entroncamento com a Rua Fernando Mesquita e
daqui até ao Parque da Devesa e rotunda de acesso à variante.

A zona envolvente do Parque 1.º Maio sofrerá, de resto, algumas alterações
significativas de forma a que seja possível compatibilizar com segurança a
rede ciclável e pedonal nesta zona de acesso às escolas e de elevado tráfego
automóvel. Entre as novidades está, por exemplo, a requalificação da Avenida
25 de Abril, entre o Parque 1.º de Maio e a Estação Ferroviária, e a
construção de uma rotunda nesse mesmo troço da Avenida que permitirá
circular para a rua da Reguladora, a Rua José Carvalho, sem ter que
contornar o parque.

Quanto ao segundo lote, a obra está a decorrer tendo sido adjudicada à
empresa Dacop – Construções e Obras Públicas por um valor superior a um
milhão de euros e vai garantir que o corredor previsto no lote 1 tenha
ligação à via ciclo-pedonal Famalicão-Póvoa, através da Rua António Sérgio,
do viaduto sobre a linha férrea, que também será alvo de uma intervenção, e
da Rua Daniel Rodrigues.

O presidente da Câmara Municipal fala numa “revolução e numa rotura com o
modo clássico de utilização das vias”.

“Estamos a dar a oportunidade aos famalicenses de escolherem a forma como
querem usar a via”, uma vez que com esta intervenção, esclarece Paulo Cunha,
“estamos a criar condições de segurança e de conforto para que se assista a
uma compatibilização entre os vários meios de transporte”.

O autarca lembrou ainda que esta nova via vai promover e facilitar a
intermobilidade entre a bicicleta e o transporte público de passageiros,
sobretudo pela ligação à estação ferroviária, enaltecendo também a sua
dimensão turística. “Estamos a melhorar a qualidade de vida das pessoas que
aqui vivem, trabalham e estudam, mas estamos também a tornar o território
mais atrativo para quem nos visita. Quem chega a Famalicão de comboio poderá
facilmente aceder, a pé ou de bicicleta, a vários pontos de interesse”.   

Refira-se que a obra está inserida na operação do PEDU de Famalicão,
cofinanciado pelo Norte2020, através do Fundo Regional de Desenvolvimento
Regional.

Notícias relacionadas...

Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma experiência mais personalizada. Ao navegar está a permitir a sua utilização