https://muroplaco.pt/pt

Famalicão ganha 15 quilómetros de rede ciclável e pedonal até 2021

O paradigma da mobilidade em Vila Nova de Famalicão está a mudar e dentro
de um ano a relação dos famalicenses com a cidade vai ser diferente. Para
além das obras que estão a decorrer de recuperação dos cerca de 11
quilómetros da via ciclo-pedonal que liga Famalicão à Povoa de Varzim, a
autarquia liderada por Paulo Cunha deu esta semana mais um passo para a
concretização desta mudança ao arrancar também com a construção dos
primeiros quatro quilómetros da rede de ciclovias urbanas, num investimento
de mais de dois milhões de euros.

A intervenção que hoje foi apresentada à comunicação social divide-se em
dois lotes, ambos com um prazo de execução de 365 dias.

A obra referente ao primeiro lote vai arrancar no final de agosto e prevê a
implementação de uma via ciclável e pedonal que irá ligar a Estação de
Caminhos de Ferro, desde a Avenida 25 de Abril, às escolas e aos parques de
Sinçães e da Devesa, interligando os principais pontos de entrada na cidade.

Este primeiro lote foi adjudicado à empresa José Moreira Fernandes &
Filhos, por um valor superior a um milhão de euros, e compreende três eixos:
entre o Parque 1.º de Maio, a Avenida do Brasil e o Parque de Sinçães; entre
a Avenida 25 de Abril, o Parque 1.º de Maio e a Rua Padre Benjamim Salgado,
e da Avenida do Brasil até ao entroncamento com a Rua Fernando Mesquita e
daqui até ao Parque da Devesa e rotunda de acesso à variante.

A zona envolvente do Parque 1.º Maio sofrerá, de resto, algumas alterações
significativas de forma a que seja possível compatibilizar com segurança a
rede ciclável e pedonal nesta zona de acesso às escolas e de elevado tráfego
automóvel. Entre as novidades está, por exemplo, a requalificação da Avenida
25 de Abril, entre o Parque 1.º de Maio e a Estação Ferroviária, e a
construção de uma rotunda nesse mesmo troço da Avenida que permitirá
circular para a rua da Reguladora, a Rua José Carvalho, sem ter que
contornar o parque.

Quanto ao segundo lote, a obra está a decorrer tendo sido adjudicada à
empresa Dacop – Construções e Obras Públicas por um valor superior a um
milhão de euros e vai garantir que o corredor previsto no lote 1 tenha
ligação à via ciclo-pedonal Famalicão-Póvoa, através da Rua António Sérgio,
do viaduto sobre a linha férrea, que também será alvo de uma intervenção, e
da Rua Daniel Rodrigues.

O presidente da Câmara Municipal fala numa “revolução e numa rotura com o
modo clássico de utilização das vias”.

“Estamos a dar a oportunidade aos famalicenses de escolherem a forma como
querem usar a via”, uma vez que com esta intervenção, esclarece Paulo Cunha,
“estamos a criar condições de segurança e de conforto para que se assista a
uma compatibilização entre os vários meios de transporte”.

O autarca lembrou ainda que esta nova via vai promover e facilitar a
intermobilidade entre a bicicleta e o transporte público de passageiros,
sobretudo pela ligação à estação ferroviária, enaltecendo também a sua
dimensão turística. “Estamos a melhorar a qualidade de vida das pessoas que
aqui vivem, trabalham e estudam, mas estamos também a tornar o território
mais atrativo para quem nos visita. Quem chega a Famalicão de comboio poderá
facilmente aceder, a pé ou de bicicleta, a vários pontos de interesse”.   

Refira-se que a obra está inserida na operação do PEDU de Famalicão,
cofinanciado pelo Norte2020, através do Fundo Regional de Desenvolvimento
Regional.

Leia também...