https://muroplaco.pt/pt

Famalicão Dança com dimensão mundial (c/ vídeo)

Vila Nova de Famalicão vai dançar ao ritmo do melhor que se faz no mundo. O Famalicão Dança realiza-se mais uma vez, mas 2018 representará um salto qualitativo assinalável com a inclusão do Campeonato do Mundo de Profissionais. CÁTIA VELOSO

Pela primeira em Portugal será organizada uma competição desta natureza, com previsão de participação de 25 a 30 pares profissionais vindos de todo o planeta. Da chancela da Academia Gindança, que conta com o apoio da Câmara Municipal de Famalicão, o Famalicão Dança, que se realiza a 3 e 4 de novembro, foi apresentado com grandes expectativas.
“Aqui (Famalicão), vamos receber dança de grande nível, vamos poder assistir a um grande espetáculo de brilho, cor e ritmo. Toda a gente devia ver um espetáculo desta envergadura”, sugeriu Anabela Gomes, presidente da Academia Gindança, que confirmou a presença dos “melhores bailarinos do mundo”.

Alberto Rodrigues, da Federação Portuguesa de Dança Desportiva, explicou que o Campeonato do Mundo é a prova de “maior importância” a nível global, fazendo de Vila Nova de Famalicão um dos “epicentros” da dança desportiva profissional. “Este evento acaba por nos colocar na montra dos países que sabem organizar e organizam bem”, asseverou.


A autarquia, na linha da frente no apoio à iniciativa, também não esconde a vaidade de receber um evento com esta dimensão, que na ótica do vereador do Desporto, Mário Passos, demonstra o “carácter empreendedor” dos famalicenses.

“Já são cerca de 30 os países que estarão representados e as inscrições mantêm-se abertas e ainda podem aparecer mais. Tudo isto se vai passar em Vila Nova de Famalicão e isto quer significar que fomos perfeitamente capazes de ombrear com aquilo que se realiza em Lisboa e no Porto”, sustentou o governante.

E como em todos os projetos que evoluem, há novos desafios que surgem. Neste caso, as condições físicas começam a tornar-se insuficientes para responder à envergadura do evento. Anabela Gomes admite que a organização já exigia “um multiusos”, mas garantiu que “as condições estão criadas” no Pavilhão Municipal de Famalicão para receber “cerca de 1500 pessoas”.

O patamar a que o evento chegou é fruto do reconhecimento do trabalho desenvolvido pela Academia Gindança no engrandecimento da dança desportiva nacional.

“Ao longo dos últimos 15 anos, a Gindança dinamizou a dança desportiva a nível local e formou alguns dos melhores atletas nacionais, que têm integrado as seleções nacionais. E, depois, passou à parte da organização, que elevou o nível das nossas provas desportivas e ajudou a estreitar laços com algumas entidades oficiais, que é muito importante numa modalidade da nossa dimensão, que é pequena ao nível dos apoios, infelizmente”, assinalou Alberto Rodrigues.

A 3 de novembro, além do Campeonato do Mundo, o Famalicão Dança terá bailarinos a disputar a 7.ª e última prova do Circuito Nacional. O dia seguinte estará reservado para formação para atletas e treinadores.

Leia também...