Famalicão brilha na cerimónia de entrega de prémios para os melhores museus do ano

Com duas distinções, Vila Nova de Famalicão esteve em destaque na cerimónia de entrega dos prémios de 2015 da Associação Portuguesa de Museologia (APOM), que decorreu na passada sexta-feira, 29 de maio, na Assembleia da República. A Câmara Municipal recebeu uma menção honrosa pela nova sinalética que ajuda a descobrir os museus que fazem parte de Rede Museológica Municipal, enquanto que a Fundação Cupertino de Miranda foi também agraciada com uma menção honrosa no âmbito do Prémio Investigação “A Reinvenção do Real”.

A APOM, entidade dedicada à museologia, atribui os prémios anualmente, desde 1997, a museus, projetos, profissionais e atividades desenvolvidas no setor.

Os vencedores e menções honrosas, em 26 categorias, foram anunciados por João Neto e Pedro Inácio, da direção da APOM-, Teresa Sanches em representação da Presidência da República, Miranda Calha, vice-presidente do parlamento, e Nuno Vassalo e Silva, diretor-geral do Património Cultural.

O objetivo destes prémios é o de incentivar e premiar a imaginação e a criatividade dos Museólogos portugueses e o seu contributo efetivo na melhoria da qualidade dos museus em Portugal, sendo também uma forma de dar visibilidade ao que de melhor se faz no âmbito da museologia.

O Presidente da Câmara Municipal não esconde o orgulho pelas duas distinções conquistadas por Vila Nova de Famalicão, “tanto mais que são resultado de um olhar atento por parte da APOM sobre o trabalho dos museus nacionais e não fruto de uma candidatura por parte dos responsáveis dos mesmos ao prémio”. Paulo Cunha fala também nas menções honrosas como mais um incentivo “para o desenvolvimento do trabalho que a Câmara tem feito em torno da Rede Museológica Municipal e cujo objetivo passa pela promoção de um município culturalmente dinâmico, com uma rede de equipamentos culturais ativa, múltipla e incomum”.

Recorde-se que em 2006 Vila Nova de Famalicão já havia conquistado o prémio Melhor Museu do Ano que foi entregue na altura à Casa-Museu de Camilo.

A rede museológica do concelho famalicense é composta por treze museus: Casa-Museu Camilo Castelo Branco, Museu Bernardino Machado, Museu do Surrealismo da Fundação Cupertino de Miranda (integram a Rede Portuguesa de Museus), Museu da Indústria Têxtil, Museu Nacional Ferroviário, Museu da Guerra Colonial, Museu de Cerâmica da Fundação Castro Alves, Museu do Automóvel Antigo, Museu de Arte Sacra de S. Tiago de Antas, Museu de Arte Sacra da Paróquia de Santo Adrião, Casa-Museu Soledade Malvar, Museu Cívico, Cultural e Religioso de Mouquim e Museu da Confraria da Senhora do Carmo de Lemenhe.

Notícias relacionadas...

Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma experiência mais personalizada. Ao navegar está a permitir a sua utilização