Auto Soluções

Famalicão abre as portas da sala de aula para o Teatro

Vinte e um alunos de duas turmas do 5.º ano do concelho de Vila Nova de Famalicão estão, neste ano letivo de 2022/2023, a frequentar o ensino artístico especializado de Teatro, em regime articulado, numa parceria entre a Câmara Municipal, a ACE- Escola de Artes e os agrupamentos de escola de Pedome e Ribeirão.

Depois da Música e da Dança, o município famalicense avança agora com o ensino artístico especializado de Teatro, dando resposta aos alunos do ensino público do concelho que procuram formação nesta área, articulando-a com o ensino regular.

Esta terça-feira, dia 27, na apresentação do Curso Básico de Teatro na Escola Básica de Pedome, o presidente da autarquia enalteceu o “enorme contributo” do ensino artístico no enriquecimento do projeto educativo. “Temos alunos mais motivados e a adquirir novas competências através de outras formas de aprendizagem e saber”, disse Mário Passos.

Aspeto também salientado pelacoordenadora do curso da ACE, Sílvia Correia. “Isto é uma mudança de paradigma, porque também os pais aceitam, querem e percebem as mais valias que é o seu filho, ao longo de 5 anos, do 5. ao 9.º ano, poder frequentar disciplinas que vão dar conhecimentos técnicos e artísticos, mas também consolidar matérias e tornar mais coeso o currículo”, disse.

O Curso Básico de Teatro ocupa atualmente 6 horas da carga horária semanal dos alunos, com as disciplinas de interpretação, improvisação e movimento e técnica vocal.

Refira-se que a promoção do ensino artístico e do ensino articulado continua a ser uma das apostas da Câmara Municipal de Famalicão.

Aos cursos de Música, promovidos pelo CCM- Centro de Cultura Musical e pela ArtEduca, a autarquia acrescentou ainda o ensino da Dança, em parceria com a Andança, iniciando agora o ensino articulado do Teatro em duas turmas dos agrupamentos de escola de Pedome e Ribeirão.

Atualmente o ensino articulado em Famalicão abrange perto de meio milhar de alunos, representando um investimento municipal superior a 100 mil euros por ano.

Sobre o valor afeto ao ensino articulado, Mário Passos lamentou ainda que o estado português não disponibilize os meios financeiros necessários “para que seja efetivo e para que todos os alunos possam fazer a sua escolha. Vou fazer todas as diligências para que o ensino articulado do Teatro e da Dança também sejam convenientemente apoiados e financiados por parte da tutela”, acrescentou.

Leia também...