Equipa famalicense campeã nacional do “F1 in Schools”

O Museu do Automóvel de Famalicão foi o local escolhido para disputar as finais nacionais do “F1 in Schools” e “4×4 in Schools”. As provas decorreram a 19 e 20 de maio e juntaram cerca de 200 alunos com idades compreendidas entre os 11 e os 19 anos de idade.

Na final do “F1 in Schools”, as 16 equipas foram desafiadas a desenhar, construir e correr com miniaturas de automóveis de Fórmula 1 do futuro impulsionado com botijas de ar comprimido. Além disso, tinham que preparar uma apresentação em inglês sobre todos os aspetos do projeto, assim como um portefólio para documentar o trabalho da equipa. A vencedora foi a Inv1ctus F1 (Escola Secundária Padre Benjamim Salgado), que vai representar Vila Nova de Famalicão e Portugal na final mundial a realizar na cidade de Austin, Texas, em outubro.
Na página oficial, os alunos da equipa Inv1ctus F1 afirmaram que “o dia 19 de maio de 2016 vai ficar eternamente gravado nas nossas vidas”. “Foi o culminar de quatro anos de trabalho árduo e de alegrias e tristezas. Quem diria que um projeto escolar nos daria tanto. No início da nossa jornada tudo não passava de um sonho, que parecia estar tão distante… Mas ao longo destes qautro anos aprendemos muito, crescemos como pessoas e aprendemos sobretudo que, com trabalho, dedicação e esforço tudo se alcança”, adiantaram.
Já no “4×4 in Schools”, as 14 equipas são desafiadas a construir um carro (4WD) controlado por rádio. A única equipa famalicense presente nesta prova foi a Team Vipers, da Didáxis Vale S. Cosme, que se classificou em 11.º lugar. O vencedor, o Cincork, vai disputar a final mundial na cidade de Coventry, Inglaterra, entre 4 e 8 de julho, com equipas de todo o mundo. José Pereira, Team Leader da Vipers, contou que esta foi a primeira prova em que participaram, sendo que os objetivos passavam por “relembrar alguns conhecimentos já adquiridos e pô-los”, assim como “ter novos conhecimentos sobre algumas áreas”.
As provas foram organizadas pelos Centros Tecnológicos de Portugal, com o intuito de “cativar os jovens para os cursos de engenharia e áreas das tecnologias”, segundo contou Luís Rocha¸ responsável pelo evento. Luís Rocha mencionou que as provas são “o culminar de um ano letivo”, em que várias escolas demonstram “as várias valências para fazer este projeto”, tais como a engenharia, o marketing, a comunicação, a sustentabilidade e as Tecnologias da Informação e Comunicação, como “ferramentas de futuro para fazer produtos novos”.

Obrigado por ler esta notícia

Veja tambem